Simule e contrate
Malonize Seguros

G1 > Economia


Resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 385,7 milhões de outubro a dezembro. Submarino, empresa do grupo B2W Divulgação A empresa de comércio eletrônico B2W informou nesta quinta-feira (4) que teve lucro líquido de R$ 15,6 milhões no quarto trimestre, ante prejuízo de R$ 22,3 milhões em igual período de 2019. O resultado operacional da companhia medido pelo lucro antes de impostos, juros, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado somou R$ 385,7 milhões de outubro a dezembro, crescimento de 51,7% ano a ano, em linha com a previsão média de analistas consultados pela Refinitiv, de R$ 386,2 milhões. Vídeo: Últimas notícias de Economia

Companhia teve Ebitda de R$ 1,25 bilhão no período. Loja física da Natura Divulgação A Natura&Co divulgou nesta quinta-feira (4) lucro líquido consolidado de R$ 175,7 milhões para o quarto trimestre, revertendo resultado negativo de um ano antes. A companhia dona de marcas como Avon e The Body Shop teve resultado operacional medido pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 1,25 bilhão no período, salto de 21,3%. Analistas, em média, esperavam Ebitda da Natura&Co de R$ 1,29 bilhão, segundo dados da Refinitiv. Vídeos: Últimas notícias de Ecnomia
Em comunicado enviado ao mercado, estatal reforçou que o mandato dos diretores termina em 20 de março. A Petrobras reiterou nesta quinta-feira (4) em comunicado que todos os membros da diretoria executiva estão comprometidos em cumprir seus mandatos, que se encerram em 20 de março. Petrobras perde o equivalente ao Banco BTG em valor de mercado desde fevereiro Quatro conselheiros da Petrobras pedem para deixar o cargo após troca de comando da estatal Quatro conselheiros da Petrobras pedem para deixar os cargos No comunicado, a petroleira diz ainda que não há, até o presente momento, decisão sobre saída da diretora Financeira e de Relacionamento com Investidores, Andrea Almeida, e do diretor Executivo de Comercialização e Logística, André Chiarini. O comunicado da companhia vem como resposta a "notícias veiculadas na mídia". Vídeos: Últimas notícias de economia
Ministro deu declaração em vídeo ao lado do relator da PEC Emergencial. Nesta quinta, Bolsonaro disse que 'tem idiota' que pede compra de vacinas e acrescentou: 'Só se for na casa da tua mãe.' 'Sem saúde, não há economia', diz Guedes O ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu em vídeo divulgado nesta quinta-feira (4) vacinação em massa contra a Covid-19 e "primeiro, a saúde" porque "sem saúde, não há economia". Segundo a assessoria do ministro, a gravação foi feita nesta quinta, mesmo dia em que o presidente Jair Bolsonaro xingou de "idiota" quem defende a compra de mais vacinas e acrescentou: "Só se for na casa da tua mãe" – veja mais abaixo. No vídeo, Guedes aparece ao lado do senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial, aprovada pelo Senado nesta quinta. Na gravação, o ministro comemora a aprovação do texto. "Nós precisamos de saúde, emprego e renda. Primeiro, a saúde. Sem saúde, não há economia. E, da mesma forma, a vacinação em massa é o que vai nos permitir manter a economia em funcionamento", afirma Guedes no vídeo. "Essa é a nossa pauta e nós vamos enfrentar esse desafio terrível que nós estamos enfrentando com a mesma coragem, a mesma determinação e a mesma cooperação de sempre", acrescentou o ministro. Bolsonaro diz que 'tem idiota' que pede compra de vacina: 'Só se for na casa da tua mãe' Bolsonaro Mais cedo, nesta quinta, o presidente Jair Bolsonaro afirmou em Uberlândia (MG) que "tem idiota" que pede ao governo que compre mais vacinas contra a Covid-19. Em seguida, o presidente acrescentou: "Só se for na casa da tua mãe. Não tem [vacina] para vender no mundo." Bolsonaro volta a criticar o isolamento na pandemia: ‘Chega de mimimi’ Também nesta quinta, Bolsonaro afirmou em uma viagem a Goiás que é preciso "enfrentar os problemas". No discurso, também disse que "chega de frescura, de mimimi" e questionou: "Vão ficar chorando até quando?". Veja as falas de Bolsonaro sobre as vacinas contra a Covid-19 Governadores O colunista do G1 e da GloboNews Gerson Camarotti informou que, nesta quinta, governadores de 14 estados enviaram uma carta a Bolsonaro na qual pediram que o governo federal adote medidas e procure organismos internacionais a fim de adquirir mais doses de vacinas. Os governadores alegam no documento que estão no "limite" e que a vacinação em massa "é a alternativa que se afigura como a mais recomendável, e, provavelmente, a única capaz de deter a pandemia". "Neste momento, há novas, reais e importantes justificativas para que o Brasil obtenha, com celeridade, novas remessas de imunizantes, a principal delas é a chegada e a rápida disseminação, já no estágio de transmissão comunitária, da nova variante P1, que tem se revelado ainda mais letal, prejudicando os esforços para proteger a vida de nossas cidadãs e cidadãos, bem como de suas famílias", afirmam os governadores no documento. "O mundo acompanha com preocupação o rápido avanço do contágio por essa variante no Brasil, o que torna o bloqueio da disseminação desse tipo de vírus matéria de interesse de diversas nações, inclusive porque outras variantes podem dela advir", acrescentaram. Initial plugin text
Total de pessoas pobres na região aumentou para 209 milhões no final de 2020, 22 milhões de pessoas a mais do que no ano anterior. A pobreza na América Latina aumentou em 2020 e atingiu os níveis mais altos dos últimos 12 anos, alcançando 33,7% da população total da região, devido à crise econômica causada pela covid-19, informou nesta quinta-feira (4) um relatório de um organismo subordinado à ONU. Apesar das medidas de proteção social adotadas pelos governos da região para conter o avanço do coronavírus, "a pobreza e a pobreza extrema na América Latina alcançaram níveis em 2020 que não eram observados nos últimos 12 e 20 anos, respectivamente", informa um relatório sobre o impacto social da pandemia, preparado pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal). Segundo a Cepal, como consequência da aguda crise econômica derivada da pandemia de coronavírus, que causou uma queda de 7,7% no PIB em todo o ano de 2020 na América Latina, a pobreza atingiu 209 milhões de pessoas, 22 milhões a mais do que no ano anterior – 33,7% da população total da região, de 654 milhões de habitantes. Enquanto isso, a pobreza extrema afetou 78 milhões de pessoas. "A pandemia destacou e exacerbou as grandes lacunas estruturais da região e, atualmente, há um momento de grande incerteza em que ainda não se delineou a forma nem a velocidade de saída da crise", disse Alicia Bárcena, secretária-geral da Cepal, órgão técnico das Nações Unidas com sede em Santiago. Em 1 ano de pandemia, mais 745 mil pessoas passaram a viver na pobreza no RJ, aponta estudo da FGV Vacinação desigual Com mais de 20 milhões de casos e mais de 635.000 mortes ligadas à doença, a América Latina é a segunda região mais atingida pelo coronavírus no mundo, atrás da Europa. Segundo a Cepal, com 8,4% da população mundial, a América Latina registrou 27,8% das mortes pelo vírus. Os países latino-americanos enfrentaram a pandemia com sistemas de saúde fragmentados e desiguais, subfinanciados e com déficits de recursos humanos, tecnologia e infraestrutura. Apesar da chegada das vacinas na região, o órgão afirma que o processo é realizado sob "acesso lento e desigual". "A América Latina e o Caribe não alcançarão a imunidade de massa em 2021", estima a Cepal. O relatório observa um "forte acúmulo internacional" de vacinas, que gera desigualdades no acesso às doses, e aponta que a América Latina sofre com problemas de logística e disponibilidade de insumos essenciais, bem como de cobertura de saúde. Diante dessa situação, a Cepal afirma que o papel da atenção primária à saúde é essencial e que a solidariedade internacional e regional deve ser assegurada. Mulheres: as mais afetadas Além de baixo crescimento e aumento da pobreza, agravaram-se as brechas sociais, principalmente "a injusta divisão sexual do trabalho e a organização social do cuidado, o que compromete o pleno exercício dos direitos e da autonomia das mulheres", afirma a Cepal. "As mulheres são as mais afetadas, a saída delas do mercado de trabalho tem sido muito contundente", disse Bárcena. Para o órgão, que prevê queda de até 10 anos na participação laboral das mulheres em decorrência da pandemia, é fundamental garantir vínculos contra a fome e para as mulheres, além de uma renda básica universal, priorizando as famílias com crianças e adolescentes. A crise também revelou crescentes tensões sociais, desigualdades estruturais nas sociedades latino-americanas e altos níveis de informalidade e vulnerabilidade social. A Cepal insta a garantir a proteção social universal para garantir o bem-estar da população, implementar ou dar continuidade aos auxílios emergenciais e promover novos pactos sociais e fiscais em tempos de pandemia.

A produção de soja e a de milho do Brasil devem atingir 135,68 e 109,62 milhões de toneladas respectivamente. Apesar dos recordes, números apresentam ajustes negativo em relação às estimativas de fevereiro. A produção de soja do Brasil deve atingir 135,68 milhões de toneladas na safra 2020/21. Divulgação/Agropecuária A produção de soja do Brasil deve atingir 135,68 milhões de toneladas na safra 2020/21, estimou a consultoria Datagro nesta quinta-feira (4), diante do excesso de chuvas na colheita que também está garantindo uma safra cheia em boa parte do país. Apesar do recorde, a quantidade apresenta um ajuste negativo em relação aos 135,87 milhões vistos em fevereiro. "Com as chuvas abundantes previstas para março, cerca de 95% da safra estaria garantida. Portanto, já podemos afirmar que teremos uma safra cheia e recorde", disse o coordenador de grãos da Datagro, Flávio Roberto de França Junior, em nota. As mesmas chuvas que favorecem na produtividade dificultam a colheita daquelas áreas já maduras. "A preocupação vai limitando-se agora às dificuldades impostas pelo excesso de umidade para a colheita. E, neste caso, algumas perdas regionais estão acontecendo. Mas ainda nada que transforme radicalmente esse cenário de grande produção.", explica França. Ainda assim, se confirmado, o volume projetado para a soja nesta safra será 7% superior ao recorde registrado na temporada 2019/20, conforme dados da Datagro. Exportações de soja do Brasil caem 40% em fevereiro com atraso na colheita De acordo com a consultoria, o país também passa de uma área plantada de 37,39 milhões de hectares em 2019/20 para 38,76 milhões no ciclo atual. "Desse total, o Brasil colheu, até o dia 26 de fevereiro, 28,0% da área estimada, ante 15,1% na semana anterior; no mesmo período de 2020, os sojicultores brasileiros haviam colhido 44,4%; na média dos últimos 5 anos, 36,9%", informou a Datagro, destacando o atraso nos trabalhos comparado a anos anteriores. A colheita foi postergada devido ao plantio tardio da oleaginosa, em função de uma seca no ano passado, e chuvas ocorridas desde janeiro que limitaram o processo de retirada do grão das lavouras. Milho recorde A estimativa de produção total do milho caiu para 109,62 milhões de toneladas, ante 110,06 milhões da projeção anterior. Apesar do corte, o volume ainda é 3% superior ao recorde de 2019/20. Estimativa de produção total do milho na safra 2020/21 é de 109,62 milhões de toneladas. O volume ainda é 3% superior ao recorde de 2019/20. TV Sergipe No total das duas safras do cereal, o Brasil tem previsão de área para 2020/21 de 19,60 milhões de hectares, alta de outros 3% no ano a ano. Para a safra de inverno, que é a principal da temporada, o país deve semear 15,31 milhões de hectares, 5% a mais no comparativo anual. Do total, 13,13 milhões de hectares estariam no centro-sul, prevê a consultoria. Agropecuária foi o único setor que cresceu no PIB de 2020; entenda "E esse plantio deve ocorrer, mesmo que em boa parte fora das janelas ideais de semeadura", ressaltou a Datagro sobre a segunda safra, cujo potencial produtivo é de 85,58 milhões de toneladas, alta de 7% ante o ciclo anterior. Até o dia 26 de fevereiro, a região centro-sul havia plantado 40,6% da área estimada para o milho de inverno, ante 22,2% na semana anterior. Devido ao atraso, o índice era de 67,1% na mesma época do ano passado e, na média dos últimos 5 anos, 59,5%. VÍDEOS: tudo sobre agronegócios

Companhia alegou que senha solicitada 'não é passível de ocorrer fraude' por meio da senha solicitada. Para Febraban, correntistas não devem informar senhas fora dos canais oficiais dos bancos. Campanha da Serasa solicita senha do internet banking para estudo para 'contribuir com análise de crédito'. Reprodução O Procon de São Paulo solicitou esclarecimentos à Serasa Experian por uma campanha promovida em seu portal de internet. A página pede a senha do internet banking para que os usuários participem de um "estudo" disponibilizado no mesmo portal onde é possível conferir dados referentes ao CPF do cidadão. O órgão quis saber a finalidade da campanha, público-alvo, as informações que foram colocadas e qual foi o tratamento desses dados, levando em conta a vigência da Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD). A Serasa teve 24 horas para responder à notificação do Procon-SP, o que já ocorreu. O Procon-SP informou ao blog que agora está analisando a resposta fornecida. De acordo com a Federação Brasileira de Bancos (Febraban), correntistas são aconselhados a não informar a senha bancária em canais que não sejam os dos próprios bancos. "A Febraban recomenda que as pessoas não compartilhem ou armazenem seus dados pessoais como senhas, tokens ou logins em sites ou aplicativos de terceiros. Essas informações devem ser inseridas apenas em ambientes digitais do próprio banco em que o cliente tem conta", afirmou a entidade. Questionada se o seu estudo era compatível com a orientação da Febraban, a Serasa disse acreditar que a recomendação se destina a prevenir fraudes, o que, segundo comunicado da empresa enviado ao blog, "não é passível de ocorrer mediante a utilização da senha compartilhada para a realização desse estudo de participação voluntária". Segundo o comunicado, a senha de internet banking solicitada "não permite a realização de qualquer transação bancária". Não foi informado a quais dados a senha concede acesso, mas a Serasa informou que o objetivo do estudo é "entender a relevância estatística das informações analisadas para contribuir com eventuais soluções para uma análise de risco de crédito mais assertiva". Embora tenha dito que o objetivo do estudo é "contribuir com análise de risco de crédito", a Serasa informou que a participação não tem impacto no score de crédito do consumidor. O score é uma pontuação que avalia a probabilidade de cada cidadão honrar com seus compromissos financeiros. O blog perguntou à Serasa Experian qual é a orientação da empresa a respeito das senhas utilizadas para acesso aos seus serviços e em quais circunstâncias elas podem ser solicitadas em sites de internet que não sejam dela própria, assim como ela está solicitando as senhas dos bancos. A empresa não respondeu a esse questionamento. Nesta quinta-feira (4), o blog não encontrou mais a campanha para o estudo no site da Serasa. A empresa informou que "o teste é disponibilizado por tempo limitado para alguns consumidores cadastrados". Guia de segurança digital 2021: comece o ano com as melhores medidas para se proteger de ameaças e hackers Dúvidas sobre segurança, hackers e vírus? Envie para [email protected] Como se proteger de vazamentos de dados: Veja 5 dicas para sua segurança digital: 5 dicas de segurança para sua vida digital Assista a mais vídeos para se manter seguro na internet:
Proposta foi aprovada pelo Senado nesta quinta e abre caminho para pagamento de novo auxílio emergencial. Texto inclui 'gatilhos' para forçar governo a cumprir regras fiscais. O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), afirmou nesta quinta-feira (4) que a votação da proposta de Emenda à Constituição (PEC) Emergencial na Casa pode ser concluída na próxima quarta-feira (10) se houver acordo entre os parlamentares. O Senado aprovou nesta quinta o texto que estabelece mecanismos de contenção de despesas públicas e viabiliza o auxílio emergencial. Se for aprovado na Câmara sem mudanças, o texto vai à promulgação e entra em vigor como parte da Constituição. Para Lira, não é justo a Câmara ter de votar o projeto ainda nesta semana, sem que as bancadas discutam o mérito do texto. “O Senado levou um tempo maior. Os deputados e deputadas tendo conhecimento do texto, pelo menos, dá para as lideranças e os partidos se posicionarem com relação ao mérito a partir da terça-feira, que é o que eu penso sugerir aqui no colégio de líderes”, afirmou Lira. Senado aprova PEC Emergencial em 2º turno; texto vai à Câmara Lira voltou a dizer que a maioria dos líderes concorda com um rito abreviado para a votação da matéria, sem que ela precise ser discutida em comissões. Partidos de oposição são contra essa tramitação acelerada. “Todo o dia para discussão e talvez a votação da admissibilidade, (e do mérito em) primeiro e segundo turno na quarta-feira, numa possibilidade mínima de acordo do plenário”, disse o presidente da Câmara. Auxílio emergencial A proposta aprovada não detalha valores, duração ou condições para o novo auxílio emergencial. O texto flexibiliza regras fiscais para abrir espaço para a retomada do programa. Isso porque, pela PEC, a eventual retomada do auxílio não precisará ser submetida a limitações previstas no teto de gastos. A proposta concede autorização para descumprimento das limitações somente para a União, tentando evitar maior deterioração das contas de estados e municípios. VÍDEO: Bolsonaro prevê novo auxílio-emergencial 'a partir de março, por quatro meses' O texto determina ainda que as despesas com o novo programa serão previstas por meio de abertura de crédito extraordinário, a ser encaminhado pelo governo para análise do Congresso. Em uma complementação do texto nesta quarta, o relator da PEC no Senado, Márcio Bittar (MDB-AC), estipulou um limite para gastos fora do teto, no valor de R$ 44 bilhões, para custeio do novo auxílio. Essa trava não é uma estimativa de quanto custará o programa, mas um teto de recursos para bancá-lo. O limite foi definido após parlamentares tentarem estender ao Bolsa Família a possibilidade de extrapolar o teto, proposta que, segundo Arthur Lira, não será aprovada pelo Congresso. Comissões permanentes Por falta de acordo entre os líderes partidários, a definição do comando das 25 comissões temáticas permanentes da Câmara foi adiada para a próxima terça (9). A distribuição das comissões é proporcional ao tamanho das bancadas. Quanto mais deputados o partido tiver, mais comissões ele terá direito a presidir. A principal delas é a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), que deverá ficar com o PSL. Responsável por analisar a constitucionalidade das propostas que tramitam na Câmara, o colegiado tem o poder de arquivar ou de dar continuidade aos projetos. A deputada Bia Kicis (PSL-DF) é cotada para assumir a presidência da comissão. Fiel defensora do presidente Jair Bolsonaro, a deputada é investigada no inquérito dos atos antidemocráticos, autorizado pelo Supremo Tribunal Federal (STF). Líderes impõem resistência ao nome de Bia Kicis para a presidência da CCJ O inquérito apura a organização de manifestações de simpatizantes de Bolsonaro que reivindicaram pleitos inconstitucionais, como o fechamento do Congresso, do STF, e a instituição de um golpe militar. Enquanto a CCJ não tiver sido instalada, a PEC Emergencial poderá ter uma tramitação mais rápida e ser analisada diretamente no plenário, conforme intenção externada pelo presidente da Câmara. Isso porque, pelo rito tradicional, uma proposta de emenda à Constituição precisaria antes passar pelo crivo da CCJ, que analisa aspectos formais e alguma eventual ofensa a princípios constitucionais. Em seguida, a PEC teria que ser discutida em uma comissão especial criada para esse fim. Só depois de aprovada na comissão é que a matéria poderia ir ao plenário.
Déficit engloba dados de domicílios precários, em coabitação e com elevado custo de aluguel. Indicador tinha caído em 2018, mas levantamento mostrou alta nos dados de 2019. O Brasil registrou em 2019 um déficit habitacional de 5,876 milhões de moradias, apontam dados apresentados nesta quinta-feira (4) pela Fundação João Pinheiro. O indicador inclui domicílios precários, em coabitação e domicílios com elevado custo de aluguel. Segundo a pesquisa, essas quase 6 milhões de moradias representam 8% dos domicílios do país. O alto valor do aluguel urbano responde por mais de metade do déficit habitacional total – um total de 3.035.739 de moradias. O índice chegou a cair entre 2017 e 2018, mas voltou a subir em 2019. Confira abaixo os dados dos últimos quatro anos de levantamento 2016: déficit de 5.657.249 domicílios 2017: 5.970.663 (+5,5%) 2018: 5.870.041 (-1,6%) 2019: 5.876.699 (+0,11%) Aluguel teve aumento acumulado de 4,64% em 2019 no país; veja dados O levantamento divulgado nesta quinta divide os 5,8 milhões de domicílios faltantes nas seguintes categorias: Habitação precária: 1.482.585 Coabitação: 1.358.374 Ônus excessivo com aluguel urbano: 3.035.739 Os estados com maiores déficits habitacionais, com relação ao número total de domicílios, estão nas regiões Norte e Nordeste do país: Amapá (17,8%), Roraima (15,2%), Maranhão (15,25%), Amazonas (14,82%) e Pará (13,55%). De acordo com a pesquisa, esse elevado déficit está relacionado, principalmente, a moradias precárias. Já o menor déficit habitacional do país é o do Rio Grande do Sul, com 5,06%. Os dados calculados pela Fundação João Pinheiro do déficit são adotados pelo governo federal desde 1995. Diálogos: em 2018, Ermínia Maricato analisou a crise de moradia no Brasil; reveja Custo do aluguel Segundo o coordenador da pesquisa, Frederico Poley Martins Ferreira, um dos destaques do levantamento foi o impacto do alto custo dos aluguéis urbanos. Essa categoria do déficit passou de 2,814 milhões em 2016 para 3,035 milhões em 2019, respondendo por 52% do total do indicador. Entram nessa conta as moradias cujo custo de aluguel responde por mais de 30% da renda familiar. Ferreira destaca que muitas dessas habitações são alugadas de modo informal. Por isso, os moradores não têm acesso ao Judiciário ou a alguma outra forma de controlar o custo.
Números foram divulgados nesta quinta pelo Banco Central. Movimento coincide com fim do auxilio emergencial pago a trabalhadores que perderam renda na pandemia. Os saques das cadernetas de poupança superaram os depósitos em R$ 5,832 bilhões em fevereiro deste ano, informou nesta quinta-feira (4) o Banco Central. De acordo com a instituição, os saques da poupança somaram R$ 245,656 bilhões no mês passado, enquanto os depósitos totalizaram R$ 239,824 bilhões. A retirada de recursos da poupança aconteceu pelo segundo mês seguido, algo comum no começo de cada ano. O volume foi menor que o de janeiro, quando R$ 18 bilhões deixaram a modalidade de investimentos – a maior retirada da história. Considerando a série histórica dos meses de fevereiro, o Banco Central registrou a maior saída líquida de valores da caderneta de poupança em cinco anos. Em 2016, o saldo de resgate foi maior, de R$ 6,638 bilhões. A retirada de recursos da poupança coincide com os maiores gastos no início de cada ano, como material escolar. Há ainda o pagamento de impostos como o IPVA e o IPTU, em alguns municípios, e parcelas remanescentes das compras de Natal. Além disso, o auxílio emergencial do novo coronavírus deixou de ser pago em dezembro do ano passado. A interrupção do programa cessou o fluxo de recursos que vinha abastecendo a caderneta de poupança nos meses anteriores. Nesta quinta, o Senado Federal aprovou em segundo turno a PEC Emergencial, que viabiliza a retomada do auxílio emergencial com controle de outros gastos. O texto ainda precisa passar pela Câmara dos Deputados para entrar em vigor. PEC Emergencial: veja detalhes da proposta que pode viabilizar o retorno do auxílio Em uma transmissão pela internet na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro disse que o auxílio emergencial deverá ser retomado ainda no mês de março, com duração de quatro meses. Números oficiais mostram que a poupança atraiu um volume recorde de recursos em 2020, quando o auxílio emergencial foi pago em nove parcelas, entre abril e dezembro de 2020. As cinco primeiras parcelas foram de R$ 600, entre abril e agosto de 2020, e as quatro últimas de R$ 300. Volume total de recursos Com a saída de recursos da poupança no mês passado, o estoque dos valores depositados – ou seja, o volume total aplicado nessa modalidade – registrou queda. Em dezembro do ano passado, o saldo da poupança estava em R$ 1,035 trilhão, passando para R$ 1,019 trilhão em janeiro deste ano e para R$ 1,014 trilhão em fevereiro. Além dos depósitos e dos saques, os rendimentos creditados nas contas dos poupadores também são contabilizados no estoque da poupança. Em fevereiro deste ano, os rendimentos somaram R$ 1,540 bilhão. Rendimento da poupança Com o juro básico da economia na mínima histórica de 2% ao ano, a caderneta de poupança continua rendendo pouco, assim como outros investimentos em renda fixa – fundos de investimentos e CDB's, por exemplo. Pela norma em vigor, há corte no rendimento da poupança sempre que a taxa Selic estiver abaixo de 8,5% ao ano. Nessa situação, a correção anual das cadernetas fica limitada a 70% da Selic + Taxa Referencial, calculada pelo BC. Com a taxa Selic nos 2% anuais, a remuneração da poupança está hoje em 1,4% ao ano, mais Taxa Referencial. Em 2020, a poupança perdeu para a inflação e registrou a pior rentabilidade em 18 anos. Entre as opções para os investidores, está o Tesouro Direto, programa que permite a pessoas físicas comprar títulos públicos pela internet, via banco ou corretora, sem necessidade de aplicar em um fundo de investimentos. Uma alternativa para os investidores conseguirem uma remuneração mais alta é a renda variável, ou seja, a bolsa de valores. Nesse caso, porém, o risco assumido é maior, pois pode haver perda de recursos. Ouro, prata e outras moedas também têm atraído a atenção de investidores.
Gigantescos déficits públicos surgiram quando os governos começaram a resgatar suas economias afetadas pela pandemia. Os países devem evitar aumento de impostos para enfrentar a crise da Covid-19, disse a Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) nesta quinta-feira (4), um dia depois de o Reino Unido anunciar planos de aumentar tributos sobre empresas. Os gigantescos déficits públicos que surgiram quando os governos começaram a resgatar suas economias afetadas pela pandemia estão aumentando a pressão – e, em alguns países, a ação – pela via de aumentos de impostos. "Não elevem seus impostos para pagar pela Covid", disse o chefe de política tributária da OCDE, Pascal Saint-Amans, em uma atualização online das atividades de seu departamento. "É preciso ter certeza de que o aumento da dívida é sustentável ao favorecer crescimento, investimento e ao ter sua política própria. Mas o imposto não é a resposta", acrescentou. Embora não tenha citado o Reino Unido, Saint-Amans fez os comentários um dia depois de Londres anunciar que aumentará um imposto sobre grandes empresas de 19% para 25% a partir de 2023, o primeiro acréscimo em quase meio século.
Ficam adiadas até o fim deste mês o reinício do bloqueio e suspensão dos benefícios sociais. Número de beneficiados pelo BPC cai 50% O Ministério da Cidadania publicou portaria no Diário Oficial da União desta quinta-feira (4) que prevê a suspensão da retomada do cronograma de bloqueio de pagamentos e de cancelamento de benefícios previstos no Cadastro Único como Bolsa Família e Benefício de Prestação Continuada (BPC) até 31 de março. Assim, ficam adiadas até o fim deste mês o reinício do bloqueio e suspensão dos benefícios sociais. O motivo é o estado de emergência de saúde pública de importância nacional decorrente da Covid-19. É por meio do Cadastro Único que o governo identifica quem é apto a participar de programas sociais como Bolsa Família, Tarifa Social de Energia Elétrica e Programa Minha Casa Minha Vida, além da isenção de taxas como as cobradas em concursos públicos. Para se enquadrar nesse grupo, a renda média familiar tem de ser de até metade de um salário mínimo por mês, o que corresponde a R$ 522,50. Para se chegar a essa média, é preciso somar o salário de todas as pessoas da família e dividir pelo número de integrantes. Também se enquadram famílias cuja soma total dos salários seja de até R$ 3.135 (valor que corresponde a três salários mínimos) ou pessoas em situação de rua. Revisões cadastrais são adiadas Em janeiro, o Ministério da Cidadania prorrogou por mais 90 dias a suspensão de revisões cadastrais e de procedimentos operacionais do Bolsa Família e do Cadastro Único. De acordo com a portaria, a decisão levou em conta a "necessidade de evitar aglomerações e exposição à infecção pelo novo Coronavírus de integrantes de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, de famílias do Cadastro Único ou de pessoas em busca de atendimento para cadastramento, e, ainda, de cidadãos que trabalham em unidades de cadastro". A portaria é uma prorrogação do prazo de suspensão estabelecido na portaria 443, de 20 de julho, que foi de 180 dias. Assim, continuam suspensos procedimentos como averiguação cadastral, revisão cadastral e a aplicação das ações de bloqueio, suspensão e cancelamento de benefícios financeiros, decorrentes do descumprimento das regras de gestão de benefícios do Bolsa Família. Também seguem suspensas as medidas de bloqueio de famílias sem informação de acompanhamento das condicionalidades do programa. O Ministério da Cidadania poderá realizar processo de verificação gradual das informações do Cadastro Único, a partir das bases de dados disponíveis.

Em 2020, a produção de comida no Brasil supriu 212,235 milhões de pessoas no país e outras 560,365 milhões no exterior. Cálculo foi feito considerando a exportação de grãos e da carne bovina convertida em grãos. O agronegócio brasileiro forneceu alimento para 772,600 milhões de pessoas em 2020, segundo estudo da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa (Sire). GettyImages O agronegócio brasileiro forneceu alimento para 772,600 milhões de pessoas em 2020, segundo estudo da Secretaria de Inteligência e Relações Estratégicas da Embrapa (Sire), divulgado nesta quinta-feira (4). De acordo com a publicação, 212,235 destas pessoas são do Brasil e as outras 560,365 milhões são de outros países. "A variação da população total alimentada pelo Brasil em 2019, de 809,472 milhões em relação a 2020, deve-se à variação de preços dos produtos nos dois anos considerados. Assim, pode-se afirmar que ao redor de 800 milhões de pessoas são alimentadas pelo Brasil, incluindo a população brasileira”, afirmam os autores. Agropecuária foi o único setor que cresceu no PIB de 2020; entenda Segundo a pesquisa, nos últimos dez anos, a participação do Brasil no mercado mundial de alimentos saltou de US$ 20,6 bilhões para US$ 100 bilhões. Os produtos em destaque foram a carne, soja, milho, algodão e produtos florestais. Com isso, a expectativa é de que a contribuição do país para o abastecimento mundial aumente nos próximos anos. Calculando Para quantificar a contribuição do Brasil para a alimentação mundial, o estudo considerou a produção de grãos e oleaginosas por serem alimentos básicos de várias populações no mundo e também considerados básicos para a produção de proteína animal. Para isso, os pesquisadores realizaram dois cálculos. O primeiro é baseado na produção física de grãos e o segundo agrega a esta produção física o seu respectivo valor monetário, a partir de preços internacionais. Nas contas, os pesquisadores realizaram a conversão de carne bovina em grãos, se baseando no fato de sua produção acontecer no pasto. "Convertemos esta exportação para equivalente em grãos e quantificamos quantas pessoas são alimentadas por esta carne. Esta é a segunda alternativa do estudo”, explica Elisio Contini, um dos pesquisadores envolvidos no estudo. Número de produtores beneficiados pelo seguro rural cresceu 84% em 2020, diz Ministério da Agricultura “Na primeira alternativa, baseada na produção física, utilizaram-se dados do International Grains Council (IGC), subtraindo-se as importações de grãos feitas pelo Brasil", contam os autores. "A partir dos dados de produção, estabeleceu-se o percentual da produção brasileira destes grãos em relação à mundial. Com dados da população mundial, foi possível quantificar o número de pessoas que o Brasil pode alimentar, com base na sua participação na produção mundial de grãos e oleaginosas”, detalham. A partir disso, os pesquisadores entenderam que a participação do Brasil na produção mundial de grãos cresceu de 6% em 2011, para 8% em 2020. No segundo método, os estudiosos multiplicaram os preços internacionais com a produção a cada ano. Fazendo em seguida a proporção em relação ao total, como na estimativa anterior. Com isso, eles chegaram no dado de 772,600 milhões de pessoas supridas pela produção brasileira em 2020. VÍDEOS: tudo sobre agronegócios

Desenvolvedores de apps reclamam de condições injustas e anticoncorrenciais Apple será investigada no Reino Unido por práticas em sua loja de aplicativos, a App Store. REUTERS/David Gray O regulador de concorrência do Reino Unido disse nesta quinta-feira (4) que abriu investigação contra a Apple após reclamações de que as condições da App Store, sua loja de aplicativos, para desenvolvedores são injustos e anticoncorrenciais. A investigação vai detectar se a Apple tem posição dominante na distribuição de apps para iPhone e iPad no Reino Unido, segundo a Autoridade de Concorrência e Mercados (CMA). O órgão também quer identificar se a empresa "impõe condições injustas ou anticoncorrenciais aos desenvolvedores" que resultam em menos opções de escolha ou preços mais altos para os consumidores. De acordo com as regras da App Store, conteúdos digitais só podem ser adquiridos por intermédio do sistema da Apple. Não é possível baixar aplicativos para iPhones e iPads sem ser pela loja oficial. As políticas de pagamento relacionadas à loja são alvos de reclamações de desenvolvedores de aplicativos, pois exigem que eles usem o sistema de pagamento da empresa, que cobra comissões entre 15% e 30%. A empresa também está em disputa com a Epic Games, criadora do popular jogo "Fortnite" e que no ano passado tentou evitar a taxa de 30% lançando seu próprio sistema de pagamentos, levando a Apple a banir o Fortnite de sua loja. Com protestos de desenvolvedores, a empresa reduziu pela metade as comissão para pequenas empresas no início de 2021. Desenvolvedores que ganham menos de US$ 1 milhão por ano pagam taxa de 15% nas transações pela loja de aplicativos do iPhone, iPad e Mac. ENTENDA: por que o jogo 'Fortnite' está desafiando o modelo de negócios da App Store na Justiça "A App Store tem sido um motor de sucesso para desenvolvedores de aplicativos, em parte por causa dos padrões rigorosos que temos em vigor – aplicados de forma justa e igual a todos os desenvolvedores – para proteger os clientes de malware e para evitar a coleta desenfreada de dados sem o seu consentimento", afirmou a Apple. A empresa também é investigada por motivos semelhantes pelas autoridades de concorrência holandesas, que estão se aproximando de uma decisão, informou a Reuters no mês passado. No ano passado a Comissão Europeia também abriu investigação contra a Apple por causa das comissões cobradas pela App Store. "Reclamações de que a Apple está usando sua posição de mercado para definir termos injustos ou que restringem a concorrência e escolha - potencialmente causando perdas aos clientes - merecem um exame cuidadoso", disse o presidente da CMA, Andrea Coscelli. Veja dicas para se manter seguro on-line:

Total de crédito concedido foi de R$ 147,57 bilhões. A utilização de recursos da Poupança Rural Controlada também aumentou, atingindo o valor de R$ 42,45 bilhões. Contratações de crédito rural crescem 18% entre julho 2020 e fevereiro deste ano, diz Ministério da Agricultura Jacto Agrícola/Divulgação O valor das contratações de crédito rural no Brasil, no âmbito do Plano Safra, somou R$ 147,57 bilhões de julho de 2020 a fevereiro de 2021, uma alta de 18% na comparação com o mesmo período da temporada anterior, informou o Ministério da Agricultura nesta quinta-feira (4). Os recursos para investimento somaram R$ 47,33 bilhões, com aumento de 40%, e os para custeio R$ 78,64 bilhões, avanço de 14%, de acordo com o Balanço de Financiamento Agropecuário da Safra 2020/2021. Número de produtores beneficiados pelo seguro rural cresceu 84% em 2020, diz Ministério da Agricultura O montante industrialização somou R$ 8,24 bilhões (+1%) e no caso de apoio a comercialização houve queda de 3%, para R$ 13,34 bilhões. "A menor demanda de crédito para comercialização é explicada, principalmente, pela elevação dos preços agrícolas, que torna desnecessária a formação de estoques", disse o ministério. Dentre as contratações de crédito rural realizadas com os chamados "recursos controlados", no total de R$ 100,15 bilhões, destaca-se a redução de 25% na utilização de Recursos Obrigatórios, situando-se em R$ 27,19 bilhões. Banco do Brasil anuncia R$ 16 bilhões para pré-custeio da safra 2021/22 Ao mesmo tempo, a utilização de recursos da Poupança Rural Controlada aumentou 78%, atingindo R$ 42,45 bilhões, disse a nota. O aumento na utilização de recursos das fontes não controladas (22%) foi superior ao das fontes controladas (17%), destacou o ministério. Isso seria um resultado da política de diversificação das fontes de financiamento, com destaque para o aumento de 72% em recursos livres (de tesouraria ou próprios dos bancos), num total de R$ 12,16 bilhões, e de 15% nas contratações com recursos da fonte LCA, que ficaram em R$ 20,79 bilhões, segundo o diretor do Departamento de Crédito e Informação, Wilson Vaz de Araújo. VÍDEOS: tudo sobre agronegócios

Companhia foi duramente atingida pela retração da demanda na pandemia. A companhia aérea Azul encerrou 2020 com prejuízo líquido de R$ 10,83 bilhões, valor mais de quatro vezes maior que o prejuízo de R$ 2,4 bilhões registrado em 2019, segundo as demonstrações financeiras enviadas nesta quinta-feira (4) à Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Demanda total por voos da Azul em janeiro cai 31% Avião da companhia aérea azul Sergio Moraes/Reuters É o pior resultado da aérea, que foi duramente atingida pela retração da demanda na pandemia. A receita, na mesma base de comparação, caiu 50%, de R$ 11,4 bilhões para R$ 5,74 bilhões, a menor desde 2013. Em um release de resultados também divulgado nesta quarta, a companhia traz dados diferentes para o ano. A receita, segundo ela, foi de R$ 5,79 bilhões, e o prejuízo líquido, de R$ 10,17 bilhões. A Azul diz ainda que, em termos ajustados, o prejuízo líquido anual seria de R$ 4,6 bilhões. Em nota de rodapé, a administração da companhia diz que o resultado foi “ajustado por eventos não recorrentes, principalmente devido à pandemia”, num total de R$ 143,2 milhões de perda no quarto trimestre, R$ 62,5 milhões de ganho em 2020, R$ 3,2 bilhões de perda no 4° trimestre de 2019 e em 2019. A empresa diz também que os resultados financeiros foram ajustados por despesas com debêntures conversíveis e que o prejuízo foi ajustado “por ganhos e perdas com marcação a mercado e variação cambial, visto que não há impacto caixa”.

Aumento do faturamento foi de 48% contra o ano anterior, segundo dados da consultoria especializada BDSA. Estados Unidos e Canadá foram os principais mercados, onde a venda legal é mais desenvolvida. Folhas de cannabis, usadas para produzir maconha, fotografadas em 19 de novembro durante protesto em frente ao Senado do México Carlos Jasso/Reuters O mercado mundial de cannabis legal atingiu um patamar de vendas de US$ 21,3 bilhões em 2020, um aumento de 48% em relação ao ano anterior. Os dados são da consultoria especializadas BDSA. Os resultados no ano da pandemia do coronavírus surpreenderam os especialistas. Em 2019, as vendas de maconha legal acumularam faturamento de US$ 14,4 bilhões. Com o crescimento visto em 2020, a BDSA agora estima uma taxa média de crescimento para o mercado da ordem de 17% ao ano, o que levaria o faturamento aos US$ 55,9 bilhões em cinco anos. Canabidiol: Ministério da Saúde abre consulta pública sobre inclusão de substância no SUS “A indústria da cannabis enfrentou vários desafios nos últimos anos, nenhum tão potencialmente disruptivo quanto a pandemia de coronavírus em 2020. Nossa previsão anterior era conservadora com base nas consequências econômicas esperadas da pandemia, mas a indústria não apenas sobreviveu, ela prosperou e a cannabis legal ganhou terreno considerável”, disse Micah Tapman, CEO da BDSA, em nota. Mercados onde a cannabis legal tem alguma tradição colheram aumentos mais vigorosos. Nos Estados Unidos, maior mercado do setor, as vendas chegaram a US$ 17,5 bilhões, aumento de 46% em relação ao ano anterior. Destaques foram o estado do Oregon, que cresceu 39%, e Colorado, 26%. O Canadá teve crescimento de 61% em 2020, para mais de US$ 2,6 bilhões. O país foi beneficiado por nova regras governamentais que liberaram também a venda de produtos derivados, como comestíveis à base de cannabis. Todo o restante do mercado mundial contribuiu com apenas US$ 1,1 bilhão. A expectativa da consultoria é que esse segmento chegue a US$ 8,6 bilhões em cinco anos. Por que o setor de maconha não é a próxima GameStop "Os mercados médicos e de uso adulto lançados em 2019 e 2020 contribuíram com US$ 1,6 bilhão em gastos em 2020: US$ 422 milhões em médicos e quase US $ 1,2 bilhão em adultos. Cinco novos mercados dos EUA legalizaram a cannabis medicinal ou para uso adulto durante as eleições de 2020: Arizona, Mississippi, New Jersey, Montana e South Dakota", diz nota da BDSA. Segundo a consultoria, os dados refletem as previsões legais do mercado de cannabis. As previsões de mercado de CBD (derivados de maconha ou cânhamo) são medidos à parte. Anvisa nega pesquisa com cannabis à Unicamp
Dados constam no boletim regional do Banco Central. Nesta quarta-feira (3), IBGE informou que o PIB brasileiro registrou tombo de 4,1% em 2020. O nível de atividade econômica registrou alta nas regiões Norte e Centro-Oeste em 2020, em meio à pandemia do coronavírus. A informação foi divulgada pelo Banco Central (BC) nesta quinta-feira (4) por meio do boletim regional. Nesta quarta-feira (3), o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro registrou um tombo de 4,1% em 2020, maior queda desde o início da série histórica atual do IBGE, iniciada em 1996. Os números do boletim regional do Banco Central têm por base o Índice de Atividade Econômica (IBC-Br) da instituição, considerado uma "prévia" do resultado do PIB. O indicador incorpora estimativas para a agropecuária, a indústria e o setor de serviços, além dos impostos. Diferentemente do PIB, ele não considera o lado da demanda (investimentos, consumo do governo, gastos das famílias e setor externo, por exemplo). Por regiões De acordo com dados do BC, a região Norte teve expansão de 0,4% no nível de atividade no ano passado, estimulada principalmente pelo desempenho do comércio – "cujos resultados foram superiores aos das demais regiões". De acordo com a instituição, isso é resultado, em parte, do aumento da renda das famílias, favorecido pela concessão do auxílio emergencial, que atingiu 57% dos domicílios da região em novembro de acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) COVID-19 do IBGE. "Adicionalmente, a agricultura, com alta de 5,2% na produção de grãos, e a construção civil, que totalizou geração de 9,3 mil vagas de emprego formal, impulsionaram o resultado. A indústria apresentou comportamento distinto entre os ramos: a extrativa assinalou modesta expansão, enquanto a transformação foi bastante afetada pela crise sanitária", diz o boletim. Na região Centro-Oeste, ainda segundo o Banco Central, o desempenho da atividade econômica, que se deve em grande parte à produção de alimentos, avançou 0,2% em 2020, repercutindo a combinação de uma safra recorde de grãos e as cotações das "commodities" (produtos básicos com cotação internacional, como minério, petróleo e alimentos), principalmente, soja e carnes, que impulsionaram as vendas externas. "A produção agrícola registrou elevação nas colheitas dos três principais grãos (soja, milho e algodão) e houve crescimento na fabricação de alimentos", informou, acrescentando que o crescimento da atividade na região, em 2020, também foi favorecido pelas "altas no varejo e nos serviços de transporte", diz o documento. Já na região Sudeste, que teve contração de 1,3% na atividade econômica no ano passado, o BC avaliou que a estrutura produtiva diversificada permitiu que as atividades mais impactadas pela crise tivessem seus resultados compensados, em parte, pela evolução favorável de outras. "No setor de serviços, o segmento de atendimento às famílias permaneceu deprimido. No entanto, os serviços financeiros, fortemente concentrados na região, tiveram alta significativa, refletindo a maior demanda das empresas por recursos, face à redução dos fluxos de caixa, e o acesso às linhas especialmente criadas para combate aos efeitos econômicos da pandemia", informou o boletim. Ainda no Sudeste, de acordo com a análise da instituição, a menor produção de veículos na indústria se contrapôs à ampliação em alimentos, produtos químicos, farmoquímicos, de limpeza e higiene pessoal. Por fim, a construção civil, embora tenha recuado no ano, apresentou crescimento no quarto trimestre, em relação ao anterior. Na região Nordeste, apesar do desempenho agrícola, houve queda de 2,1% na atividade econômica em 2020. Segundo o BC, o menor ritmo da economia "decorreu sobretudo das adversidades dos serviços de maior interação entre as pessoas, que têm maior peso na região". "Essas adversidades impactaram o mercado de trabalho, com efeitos sobre o comércio, cujo volume acumulou queda – no conceito restrito (exclusive comércio automotivo e de material de construção), a região foi a única a reduzir as vendas em 2020. Como fator de mitigação, o Nordeste foi beneficiado pela concessão do auxílio emergencial, que atingiu 55,3% dos domicílios da região em novembro de acordo com a PNAD COVID 19", acrescentou. A região Sul apresentou tombo de 2,1% na atividade no ano passado com a queda na produção de grãos, motivada pelas quebras das safras de verão no RS (soja e milho), o que não contribuiu para atenuar os efeitos da pandemia. "No indicador geral, indústria e comércio recuaram, porém com resultados díspares entre os segmentos. A produção industrial registrou recuo em veículos, vestuário e calçados, e destacou, positivamente, a indústria de alimentos, máquinas, aparelhos e materiais elétricos, produtos de metal, refino de petróleo e celulose", informou o BC. No comércio, acrescentou a instituição, o padrão observado na região Sul foi similar ao das demais regiões, com destaque para a alta nas vendas de produtos alimentícios. "A construção civil, condicionada pelos resultados de Santa Cataria e Paraná, com redução do estoque de imóveis residenciais, apresentou crescimento no ano", concluiu. VÍDEOS: Últimas notícias de Economia

Tira-dúvidas explica como funciona a segurança das chamadas no WhatsApp e as possibilidades existentes para gravar uma ligação. Se você tem alguma dúvida sobre segurança da informação (antivírus, invasões, cibercrime, roubo de dados etc.), envie um e-mail para [email protected] A coluna responde perguntas deixadas por leitores às terças e quintas-feiras. WhatsApp utiliza criptografia de ponta a ponta nas chamadas, embaralhando dados e impedindo grampos tradicionais. Dado Ruvic/Reuters Queria saber: uma ligação de WhatsApp pode ser grampeada? – Washington Torres A resposta para essa pergunta vai depender um pouco do que você considera um "grampo". Na prática, é possível gravar uma chamada – mas não seria um grampo como o das escutas telefônicas comuns. Em chamadas na rede de telefonia comum, um "grampo" se dá pela gravação da chamada no sistema da operadora. Isso não funciona no WhatsApp, pois ele utiliza a criptografia de ponta a ponta. A operadora não é capaz de decifrar a chamada para armazená-la. Isso não significa que a chamada não possa ser gravada. Qualquer participante da chamada pode colocar o telefone em modo viva-voz e ligar um microfone próximo ou conectar um dispositivo de som Bluetooth capaz de gravar a chamada. SAIBA MAIS: WhatsApp libera chamadas de voz e vídeo pelo computador Em smartphones que possuem porta de áudio analógico, também é possível desviar os sinais de som para um gravador. Alguns aparelhos são compatíveis com dispositivos de som ligados na porta USB, os quais podem gravar a chamada sem que você perceba. Certos smartphones também são capazes de gravar o som emitido pelo alto-falante interno, o que facilita ainda mais a gravação. O WhatsApp também anunciou que chamadas de vídeo e voz podem ser executadas no aplicativo de desktop, no computador, que abre ainda mais oportunidades para que um participante grave a chamada. Está claro, portanto, que alguém que faz parte da chamada pode gravá-la. Mas e quem não está na chamada, como acontece nos grampos? Em cenários mais sofisticados, é possível instalar aplicativos de espionagem, seja no seu telefone ou do destinatário da chamada. Nesse caso, o app fica responsável pela gravação, embora ele tenha de burlar mecanismos de segurança dos celulares para isso. SAIBA MAIS: Como funciona um programa espião? Com a possibilidade de realizar chamadas no computador, um aplicativo de espionagem para Windows ou Mac também poderá gravar as chamadas que forem realizadas nesses sistemas. Também é tecnicamente possível que o WhatsApp associe uma chave de segurança intermediária entre você e o seu contato, permitindo que o próprio WhatsApp faça um grampo na chamada. O WhatsApp costuma afirmar que a empresa não tem acesso às mensagens e chamadas dos usuários. Isso é verdade para as mensagens regulares, que são criptografadas com as chaves dos usuários. Mas, em termos estritamente técnicos, a empresa pode criar um usuário "fantasma" com chaves que ela controla para monitorar a comunicação. Veja como funciona a criptografia de ponta-a-ponta do WhatsApp Porém, não está claro até que ponto os tribunais poderiam exigir que o WhatsApp tome essa atitude. Fora do âmbito jurídico, terceiros poderiam invadir os servidores do WhatsApp e realizar esse grampo à força. Um ataque dessa natureza seria muito surpreendente, pois exige informações privilegiadas sobre o sistema e um meio de atacar a rede. Não deixa de ser possível, mas é muito improvável. Vale lembrar que o WhatsApp permite a conferência das chaves para evitar qualquer grampo por troca indevida de chave. Porém, os avisos de troca de código de segurança são opcionais (eles vêm desativados) e o app não encoraja usuários a fazer esse tipo de checagem. Na prática do mundo real, muitas autoridades policiais e ciberespiões já realizaram ataques contra smartphones para instalar programas de espionagem e coletar informações, inclusive mensagens e áudios trocados por WhatsApp. Foi isso que aconteceu com Jeff Bezos, o bilionário fundador da Amazon. Jeff Bezos: o que se sabe até agora sobre a suspeita de invasão do celular do homem mais rico do mundo Um dos programas utilizados para realizar esse tipo de espionagem é o Pegasus, da israelense NSO Group. O Facebook moveu uma ação nos Estados Unidos contra a NSO Group, alegando que a empresa violou os termos do WhatsApp ao viabilizar ataques contra seus usuários. Ou seja, embora o WhatsApp adote medidas para que não seja possível realizar um grampo diretamente na rede de telefonia, como é comum em escutas telefônicas tradicionais, é incorreto afirmar que não existe nenhuma forma de grampear uma chamada. Nos últimos anos, temos associado os grampos com uma simples gravação da operadora. Como os apps e serviços da internet não confiam mais na rede para transmitir dados sem criptografia, esse cenário não é mais sustentável. A noção que temos de interceptações legais terá de acompanhar a tecnologia. Dúvidas sobre segurança digital? Envie um e-mail para [email protected] Saiba como se proteger de vazamentos de dados O WhatsApp agora também o pode ser executado em um emulador de Android no computador, que abre ainda mais oportunidades para que um participante grave a chamada. o WhatsApp anunciou chamadas de áudio e vídeo no computador, que criam ainda mais possibilidades para gravações. Veja 5 dicas para sua segurança digital: 5 dicas de segurança para sua vida digital Assista a mais vídeos para se manter seguro na internet:

A alta registrada em fevereiro foi puxada por saltos no valor do açúcar e de óleos vegetais. É o nível mais alto desde julho de 2014. Açúcar bruto: alimento faz parte do índice calculado pela FAO REUTERS/Peter Nicholls Os preços mundiais dos alimentos subiram pelo nono mês consecutivo em fevereiro deste ano, atingindo seu nível mais alto desde julho de 2014, aponta o índice da Organização para a Alimentação e Agricultura (FAO, na sigla em inglês) das Nações Unidas, nesta quinta-feira (4). A alta no mês passado foi puxada por saltos no preço do açúcar e de óleos vegetais. Agropecuária foi o único setor que cresceu no PIB de 2020; entenda O índice, que mede as variações mensais de uma cesta de cereais, oleaginosas, laticínios, carnes e açúcar, teve média de 116 pontos no mês passado, contra 113,2 do dado revisado de janeiro. O valor anterior de janeiro era 113,3. As colheitas mundiais de cereais continuam a caminho de um recorde anual em 2020, e as primeiras indicações apontam para um novo aumento na produção este ano, de acordo com comunicado da FAO. O índice de preços de cereais subiu 1,2% em base mensal em fevereiro. Entre os principais grãos, os preços do sorgo foram os que mais subiram, com alta de 17,4% no mês e 82,1% no ano, impulsionados pela forte demanda da China. Os preços do milho e do arroz também subiram, enquanto preços de exportação do trigo seguiram estáveis. A alta no preço dos alimentos em 2020 explicada pelo campo Os valores do açúcar subiram 6,4% na comparação mensal, devido às quedas de produção nos principais países produtores e à forte demanda da Ásia. O índice do óleo vegetal subiu 6,2%, para o nível mais alto desde abril de 2012, com os preços do óleo de palma subindo pelo nono mês, impulsionados por preocupações com os baixos estoques nos principais países exportadores. Os preços dos laticínios subiram 1,7%, enquanto o índice da carne registrou um modesto ganho de 0,6%. As cotações da carne suína caíram, afetadas pela redução nas compras da China em meio a um excesso de oferta e um aumento do número de suínos não vendidos na Alemanha, devido à proibição das exportações para os mercados asiáticos. Previsões em alta A FAO elevou sua previsão para a safra de cereais de 2020, para 2,761 bilhões de toneladas, de uma estimativa de 2,744 bilhões feita em fevereiro, apontando para um aumento de 1,9% ano a ano. Essa revisão refletiu um aumento de 7,5 milhões de toneladas na estimativa da produção mundial de trigo, impulsionada por dados oficiais divulgados por Austrália, União Europeia, Cazaquistão e Rússia. A previsão para a produção global de arroz também foi aumentada em 2,6 milhões de toneladas em relação ao mês passado, devido às previsões de produção mais otimistas da Índia. Também cresceu a previsão para os estoques globais de cereais em 9 milhões de toneladas, projetando que eles devem fechar 2021 em 811 milhões, o que representaria um declínio de 0,9% ano a ano. "Embora a maior parte da safra de trigo no hemisfério norte ainda esteja dormente e países do hemisfério sul ainda não tenham plantado, a previsão preliminar da FAO para a produção global de trigo em 2021 aponta para um terceiro aumento anual consecutivo, para 780 milhões de toneladas, um novo recorde", afirma o comunicado da FAO. VÍDEOS: tudo sobre agronegócios

Funcionários farão uma triagem do atendimento; orientação é para que clientes busquem os canais digitais. De 9h a 10h, atendimento será apenas para grupos prioritários. Agência do Banco Itaú em Araraquara Amanda Rocha/ACidadeON Araraquara A partir da próxima segunda-feira (8), a entrada de clientes nas agências bancárias do estado de São Paulo deverá ser restrita a casos indispensáveis para evitar aglomerações em ambientes fechados. Os funcionários das agências farão uma triagem do atendimento. O anúncio foi feito pela Federação Brasileira de Bancos (Febraban), que alega o recente aumento de casos de Covid-19 e a adoção da fase vermelha em todo o estado de São Paulo. As novas regras devem durar enquanto o estado for mantido na fase vermelha - o que, no momento, está previsto para as próximas duas semanas. (CORREÇÃO: o G1 errou ao informar que o horário de atendimento dos bancos seria reduzido durante a fase vermelha do estado de São Paulo. Os horários de funcionamento das agências seguem sem alteração. A informação foi corrigida às 11h25). A entidade também informou que não existe uma lista fechado dos atendimentos que poderão ser atendidos nas agências. Os funcionários dos bancos decidirão caso a caso. Das 9h às 10h, a rede de agências no estado de São Paulo estará aberta para atendimento exclusivo de pessoas do grupo de risco, como os que têm acima de 60 anos e as gestantes. Os demais clientes serão atendidos "pelo menos" entre 10h e 15h. Para as situações em que a presença nas agências se mostrar indispensável, os bancos reforçarão as medidas de higienização das instalações, inclusive agências e caixas eletrônicos, segundo a entidade. Todas as reuniões presenciais com clientes, agendamentos de visitas externas ou quaisquer contatos fora das agências ficarão suspensos. A rede bancária terá de reforçar a sinalização das agências, indicando a necessidade de afastamento social, higienização e uso de máscaras. Para evitar aglomerações de pessoas, a Febraban reforçou orientação para organização de filas no autoatendimento e nas áreas externas das agências. Elas incluem checagem das marcações feita nas calçadas com no mínimo 1,5 metro de distância entre as pessoas e ações coordenadas com as forças de segurança locais para cumprimento das medidas de conscientização e redução das aglomerações. Para os funcionários, os bancos terão de assegurar o uso de máscaras, álcool gel e demais equipamentos de proteção individual, além de testes de detecção do vírus. Em casos de contaminação confirmada, as agências passarão por um novo processo de higienização. "Os bancos reforçam a necessidade de que os clientes e o público em geral evitem ao máximo o comparecimento presencial nas agências bancárias do estado, utilizando os canais digitais como principal meio de acesso aos serviços. O atendimento pelo celular (mobile banking), pelo computador (internet banking) e telefônico (call centers) estão disponíveis e oferecem praticamente a totalidade das transações financeiras do sistema bancário", afirma a entidade.

Nesta quinta-feira, o principal índice da bolsa avançou 1,35%, a 112.690 pontos. A bolsa de valores brasileira, a B3, fechou em alta nesta quinta-feira (4), após o Senado ter votado em segundo turno a PEC que viabiliza a volta do Auxílio Emergencial e com as atenções voltadas também para os impactos de novas medidas restritivas para controlar o avanço da pandemia no país. O Ibovespa avançou 1,35%, a 112.690 pontos. Veja mais cotações. Na quarta, a bolsa fechou em queda de 0,32%, a 111.184 pontos. Na parcial da semana, o Ibovespa tem alta de 2,41%. No ano, no entanto, acumula queda de 5,32%. Entenda o que é o Day Trade – e saiba se é possível enriquecer com essa modalidade Cenário Nesta quinta-feira, o Senado aprovou em segundo turno a proposta de emenda à Constituição (PEC) Emergencial. Agora, o texto vai para a Câmara dos Deputados. A proposta prevê uma série de medidas que podem ser adotadas em caso de descumprimento do teto de gastos, regra que limita o aumento dos gastos da União à inflação do ano anterior. O texto também viabiliza a retomada do Auxílio Emergencial. Na véspera, o IBGE mostrou que o Produto Interno Bruto (PIB) tombou 4,1% e 2020, tirando o Brasil do grupo das maiores 10 economias do mundo. Os economistas já trabalham com a expectativa de retração no 1º trimestre e parte do mercado não descarta o risco de uma queda do PIB também no 2º trimestre, o que configuraria uma nova recessão técnica. A avaliação é que o agravamento da crise sanitária no país e a necessidade de novas medidas restritivas não devem permitir uma melhora tão rápida no ritmo da retomada. A Prefeitura do Rio publicou nesta quinta-feira novas medidas restritivas com validade até o dia 11 de março. Entre elas, estão a proibição de funcionamento de quiosques, boates e feiras de artesanato. No estado de São Paulo, todas as cidades foram colocadas novamente na fase vermelha, a mais restritiva da quarentena que proíbe o funcionamento do comércio e restaurantes a. A medida entra em vigor no sábado (6) e deve permanecer até 19 de março. País já recuperou 89% da perda do PIB provocada pela pandemia, mas retomada não deve ganhar ritmo Variação do Ibovespa em 2021 Economia G1 00:00 / 26:57

Levantamento mostra que a taxa de participação das mulheres na força de trabalho aumentou em 2,9 p.p em 8 anos, enquanto a dos homens caiu 1 p.p. no mesmo período. Remuneração do trabalho para elas é, em média, 22% menor que a deles e essa diferença chega a 38% em cargos gerenciais. Pesquisa do IBGE evidencia que ter filhos pequenos é um entrave para as mulheres no mercado de trabalho Getty Images via BBC A participação das mulheres no mercado de trabalho aumentou pelo 5º ano seguido, mas elas seguem ganhando menos que os homens e ocupando, cada vez menos, cargos gerenciais. É o que apontam as Estatísticas de Gênero divulgadas nesta quinta-feira (4) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados são de 2019 e mostram que, naquele ano, a taxa de participação feminina na força de trabalho era de 54,5%, enquanto a masculina era de 73,7%. Historicamente, participação das mulheres sempre foi menor que a dos homens, mas tem diminuído Economia/G1 Apesar da diferença entre os dois sexos, a taxa das mulheres cresceu 2,9 pontos percentuais (p.p.) na comparação com 2012, quando tem início a série histórica da pesquisa, enquanto a dos homens caiu 1 p.p. no mesmo período. De acordo com o analista da Gerência de Indicadores Sociais do IBGE André Simões, esse aumento da participação das mulheres pode estar relacionado ao impacto da crise econômica de 2015 e 2016 sobre a ocupação dos homens. A taxa delas aumentou anualmente desde 2015, enquanto a deles caiu seguidamente entre 2016 e 2018. “Uma coisa que a gente pode falar é que a crise de 2015 e 2016 afetou muito os setores que empregam mais homens, como a indústria e a construção civil. As mulheres, é claro, sentem a crise também, mas elas estão mais em setores como os de serviços, que sofreram menos”, apontou. Questionado, o pesquisador enfatizou que “não necessariamente” houve uma melhora qualitativa da ocupação das mulheres no mercado de trabalho. “Esse dado [aumento da taxa de participação] pode estar mostrando uma questão de necessidade da mulher buscar uma ocupação, tendo em vista a saída de homens do mercado de trabalho diante da crise. Elas podem ter entrado no mercado para garantir a provisão do domicílio diante do desemprego dos homens”, ponderou. O levantamento mostrou, ainda, que além da desigualdade sexual, as mulheres também enfrentam desigualdade racial. Em 2019, a taxa de participação entre as mulheres brancas foi de 55,7%, enquanto entre as pretas e partas foi de 53,5% - respectivamente, acima e abaixo da média. Filhos pequenos são entraves para as mulheres no mercado A pesquisa do IBGE evidenciou que ter filhos pequenos está entre as muitas barreiras enfrentadas pelas mulheres no mercado de trabalho. Em 2019, o nível de ocupação das mulheres sem filhos de até 3 anos de idade era de 67,2%. Já entre as mulheres com filhos nessa faixa etária caía para 54,6%. Para mulheres pretas e pardas com filhos de até 3 anos de idade o nível de ocupação era ainda menor, de 49,7%. Entre os homens foi observado o oposto – o nível de ocupação entre os que tinham filhos pequenos (89,2%) foi maior que entre aqueles que não tinham filhos (83,4%). "Esses dados evidenciam a necessidade de políticas públicas voltadas a favorecer a ocupação das mulheres no mercado de trabalho. A oferta de creches, por exemplo, por si só poderia aumentar a participação delas, porque elas teriam onde deixar os filhos enquanto trabalho", avaliou o analista da pesquisa André Simões. O levantamento destacou, ainda, que as mulheres dedicavam, em média, 21,4 horas semanais aos cuidados de pessoas ou afazeres domésticos em 2019, quase o dobro da média dos homens, que foi de 11h semanais. "O maior compartilhamento entre homens e mulheres dos cuidados e afazeres domésticos também é outro fator importante para a ampliação da autonomia das mulheres no mercado de trabalho”, acrescentou Simões. Outro dado da pesquisa que pode estar relacionado às demandas domésticas comprometendo o trabalho das mulheres é referente ao chamado emprego parcial, em que a jornada de trabalho não ultrapassa 30 horas semanais. De acordo com o IBGE, em 2019, quase 1/3 das mulheres (29,6%) ocupadas no mercado de trabalho tinham jornada parcial, quase o dobro dos homens (15,6%) ocupados. O maior compartilhamento entre homens e mulheres dos cuidados e afazeres domésticos também é outro fator importante para a ampliação da autonomia das mulheres no mercado de trabalho”, Mais mulheres com CNPJ A pesquisa também mostrou que, desde 2012, aumentou em cerca de 1,2 milhão o número de mulheres ocupadas como empregadoras ou conta própria com CNPJ. Entre os homens, esse aumento foi de 1,5 milhão. Embora em números absolutos o crescimento de empregadores e conta própria com CNPJ tenha sido maior entre os homens, proporcionalmente foi entre as mulheres que mais cresceu. O aumento entre elas doi de 59%, enquanto entre eles, de 33%. “Não podemos dizer que são todos empreendedores só porque têm CNPJ. Esse aumento pode ter acontecido em ocupações mais elementares, no sentido de buscarem uma forma de se ocupar formalmente no mercado sem que isso reflita em remuneração maior”, apontou Simões. Presença feminina em cargos de gerência tem 2ª queda seguida Apesar de ter aumentado a participação de mulheres no mercado de trabalho e a proporção daquelas que têm CNPJ, a presença feminina em cargos gerenciais teve a segunda queda anual seguida. Ainda assim, ela segue maior que a observada em 2012. Mulheres são minoria em cargos de maior complexidade e melhor remunerados, segundo o IBGE Economia/G1 Segundo o analista do IBGE André Simões, existem “barreiras estruturais” impedindo que a mulher ocupe postos de maior complexidade e, consequentemente, de maior remuneração. “São muitas as barreiras. Na esfera cultural, a mulher ainda é vista como a pessoa que deve assumir a função reprodutiva e de cuidados domésticos, enquanto os homens ainda são encarados como os provedores do lar”, avaliou Simões. A menor presença feminina nos cargos de direção e gerência vai na contramão do nível de instrução, segundo o IBGE. Isso porque, em 2019, na população com 25 anos ou mais, 19,4% das mulheres tinham curso superior completo, enquanto entre os homens esse percentual foi de 15,1%. A formação superior sequer garantia às mulheres maior acesso aos cargos dentro do próprio ambiente acadêmico. No mesmo ano, elas representavam menos da metade (46,8%) dos professores de instituições de ensino superior no país. Mulheres seguem ganhando menos que os homens Em 2019, a remuneração média das mulheres foi R$ 1.985, cerca de 22% menor que a média dos homens, que foi de R$ 2.555. Esses valores correspondem apenas à média do rendimento habitual de todos os trabalhos, ou seja, não incluem outros rendimentos como pensão ou auxílios do governo, por exemplo. Segundo o IBGE, a remuneração das mulheres foi menor em todas as faixas etárias. A menor diferença foi observada no grupo entre 14 e 29 anos – 10% a menos que os homens da mesma faixa de idade. Já no grupo de 60 anos ou mais, essa diferença saltou para 36%. Entre os principais grupos ocupacionais, as mulheres só tiveram salários maiores que os homens quando membros das Forças Armadas, policiais e bombeiros militares – em média, elas receberam 5% a mais que os homens ocupando os mesmos cargos. Em cargos de diretoria e gerência, a remuneração das mulheres foi, em média, 38% menor que a dos homens nos mesmos postos de trabalho. Percentual de diferença semelhante foi observado entre profissionais das ciências e intelectuais, trabalhadores dos serviços, vendedores dos comércios e mercados e, também, entre operários e artesões da construção, das artes mecânicas e outros ofícios – nestes três ramos elas recebiam 36% menos que os homens. Mulheres seguem ganhando menos que os homens mesmo ocupando os mesmos cargos, aponta IBGE Elcio Horiuchi/G1 Aumento de mulheres parlamentares Ainda de acordo com o levantamento do IBGE, entre 2017 e 2020 aumentou de 10,5% para 14,8% a proporção de mulheres exercendo o cargo de deputada federal - um crescimento de 4,8 p.p.. Apesar deste aumento, o Brasil ainda tinha a menor proporção de mulheres deputadas federais na América do Sul. Em um ranking de 190 países, o país ocupava a 142º posição quanto à presença feminina no parlamento. Já nas câmaras municipais, em 2020, 16,0% dos vereadores eleitos eram mulheres, 3 p.p. a mais que o registrado nas eleições de 2016. O IBGE destacou, no entanto, que as mulheres pretas e pardas eram sub-representadas entre as mulheres eleitas. Enquanto elas constituíam, respectivamente, 9,2% e 46,2% das mulheres na população, alcançaram 5,3% e 33,8% das cadeiras obtidas pelas mulheres nas eleições municipais. Assista às últimas reportagens de Economia:
Temeroso com a possibilidade de o Congresso elevar o valor a ser pago na nova rodada do auxílio emergencial, o governo já se articula para que não seja votada a medida provisória que vai estabelecer as regras sobre o benefício. Uma MP passa a valer assim que é editada pelo governo. Só deixa de produzir efeitos depois de 120 dias, se não for votada pelo Congresso. Como a nova rodada do auxílio deve durar quatro meses, não depende de passar por deputados e senadores. E assim o governo evita que sejam feitas alterações indesejadas no texto. O blog apurou que a ideia já foi levada pelas áreas política e econômica do governo ao presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), responsável por pautar a votação. A MP será editada logo depois que o Congresso concluir a aprovação da proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial, aprovada em 1º turno no Senado nesta quarta-feira (3). Se a Câmara apreciar o texto na próxima semana, a MP pode ser publicada até o dia 12, permitindo pagar a primeira parcela do auxílio ainda em março. Presidente Jair Bolsonaro afirma que auxílio emergencial ajudou a movimentar o PIB 2020 No início de 2020, o governo propôs um auxílio com parcelas de R$ 200. O Congresso elevou o valor a R$ 500 e, depois, o presidente Jair Bolsonaro subiu para R$ 600. Além disso, o pagamento de R$ 1,2 mil para mães que respondem sozinhas pelo sustento da família levou a média das parcelas pagas na primeira rodada a cerca de R$ 900. A elevação do valor acabou ampliando os gastos com o auxílio emergencial para bem além do planejado pela área econômica e elevou o endividamento do país. O novo auxílio emergencial deve ter quatro parcelas de R$ 250, com valor 50% maior para mães solteiras. A MP deve limitar a um benefício pago por família e também reduzir para até 40 milhões de pessoas beneficiadas. VÍDEOS: auxílio emergencial

Nesta quinta-feira (4), moeda norte-americana recuou 0,10%, cotada a R$ 5,6602. Nota de US$ 5 dólares REUTERS/Thomas White O dólar fechou em queda de 0,10%, cotado a R$ 5,6602, nesta quinta-feira (4), após o Senado ter votado em 1º turno a PEC que viabiliza a volta do Auxílio Emergencial. As atenções também foram voltadas para os impactos de novas medidas restritivas para controlar o avanço da pandemia no país. Veja mais cotações. Na semana, ainda há alta acumulada de 0,99%. No ano, de 9,12%. Senado deve votar nesta quinta-feira, em 2º turno, a PEC emergencial Cenário Em meio à maior pressão sobre o câmbio nos últimos dias, o Banco Central já despejou em 5 pregões no mercado o equivalente a US$ 7,175 bilhões, segundo a Reuters. Somente na véspera, dois leilões de swap cambial tradicional resultaram numa injeção líquida de U$ 2 bilhões. Na noite desta quarta-feira, o Senado aprovou com folga, em 1º turno, a proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial. A proposta prevê uma série de medidas que podem ser adotadas em caso de descumprimento do teto de gastos, regra que limita o aumento dos gastos da União à inflação do ano anterior. O texto também viabiliza a retomada do Auxílio Emergencial. Uma nova sessão foi marcada para a manhã desta quinta para a votação da proposta em segundo turno. Na véspera, o IBGE mostrou que o Produto Interno Bruto (PIB) tombou 4,1% e 2020, tirando o Brasil do grupo das maiores 10 economias do mundo. Os economistas já trabalham com a expectativa de retração no 1º trimestre e parte do mercado não descarta o risco de uma queda do PIB também no 2º trimestre, o que configuraria uma nova recessão técnica. A avaliação é que o agravamento da crise sanitária no país e a necessidade de novas medidas restritivas não devem permitir uma melhora tão rápida no ritmo da retomada. A Prefeitura do Rio publicou nesta quinta-feira novas medidas restritivas com validade até o dia 11 de março. Entre elas, estão a proibição de funcionamento de quiosques, boates e feiras de artesanato. No estado de São Paulo, todas as cidades foram colocadas novamente na fase vermelha, a mais restritiva da quarentena que proíbe o funcionamento do comércio e restaurantes a. A medida entra em vigor no sábado (6) e deve permanecer até 19 de março. País já recuperou 89% da perda do PIB provocada pela pandemia, mas retomada não deve ganhar ritmo Variação do dólar em 2021 G1

Empresa, que em 2020 operou com 31% de sua capacidade, prevê retornar a 90% da oferta de 2019 em 'meados da década'. A companhia aérea alemã Lufthansa anunciou nesta quinta-feira (4) um prejuízo recorde de 6,7 bilhões de euros (US$ 8,08 bilhões, ou R$ 46,4 bilhões) em 2020 pelas restrições no setor aéreo, adotadas para frear a pandemia de coronavírus. O maior grupo aéreo europeu informou que espera novas perdas em 2021, mas menores que as do exercício fiscal anterior, pois calcula alcançar entre 40% e 50% da oferta prévia à pandemia. Porém, ao destacar o longo caminho para a recuperação, a empresa, que em 2020 operou com 31% de sua capacidade, prevê retornar a 90% da oferta de 2019 em "meados da década". Depois do fechamento de fronteiras para conter a primeira onda de contágios, a empresa enfrentou um futuro incerto. Em junho, o governo alemão salvou a empresa com a concessão de 9 bilhões de euros (10,85 bilhões de dólares) de liquidez em troca de uma participação de 25%. "O ano passado foi o mais difícil da história de nossa empresa: para nossos clientes, funcionários e acionistas", disse o diretor executivo da Lufthansa, Carsten Spohr. Aviões da companhia Lufthansa no aeroporto de Frankfurt, Alemanha, em foto de 25 de junho de 2020 Kai Pfaffenbach/Arquivo/Reuters A demanda permanece muito baixa, pois o trabalho remoto reduz as lucrativas viagens de negócios e as medidas sanitárias paralisam as viagens turísticas. Atualmente, a Lufthansa utiliza por volta de 20% de sua capacidade e espera poucos avanços nos próximos dois meses. A companhia tem a expectativa de uma recuperação da demanda no verão (hemisfério norte) com o avanço da vacinação e o aumento das capacidades de diagnóstico com testes. "Os certificados digitais de vacinação e testes, reconhecidos internacionalmente, devem substituir as proibições de viagens e a quarentena", destacou Spohr. Em 2020, a Lufthansa, incluindo as filiais Swiss, Austrian, Brussels Airlines e Eurowings, operou com apenas 31% de sua capacidade total. O faturamento registrou queda de 63%, a 13,6 bilhões de euros (16,37 bilhões de dólares) em 2020. Em 2019 o valor alcançou EUR 36,4 bilhões (US$ 43,825 bilhões). A perda operacional foi de 5,5 bilhões de euros (US$ 6,62 bilhões), enquanto em 2019 a empresa teve lucro operacional antes de juros e impostos de 2 bilhões de euros (US$ 2,41 bilhões). Desde o início da pandemia, a Lufthansa cortou 31.000 postos de trabalho, passando de 141.000 para 110.000 funcionários. Outros 10.000 empregos ainda estão em risco, admite a empresa, que assinou acordos com os sindicatos de pilotos e funcionários de terra para evitar demissões até março de 2022. Em contrapartida, os pilotos concordaram em alterar o horário de trabalho dos voos curtos e adiar os aumentos salariais. A equipe de terra renunciou a bônus e aumentos salariais. Além disso, a Lufthansa vai reduzir sua frota de 800 para 650 aeronaves em 2023.
Especialista em imposto de renda da consultoria EY, Antonio Gil, vai responder todas as semanas, durante todo o prazo de declaração, a 15 perguntas dos leitores. O prazo para fazer a declaração do Imposto de Renda 2021 já começou – e com ele as dúvidas dos contribuintes. Para ajudar nessa tarefa, a pedido do G1, o especialista em imposto de renda da consultoria EY, Antonio Gil, vai responder todas as semanas, durante todo o prazo de declaração, a 15 perguntas dos leitores. Serão 3 perguntas por dia, de segunda a sexta. Tem alguma dúvida? Mande sua pergunta e veja as já respondidas SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 1) Pergunta: Imóvel comprado na planta com 50% de posse deve ser declarado a parte paga do declarante ou o total somado das partes envolvidas? (Bruno) Resposta: Na ficha de ‘Bens e Direitos’, o senhor deverá reportar somente o valor que já pagou até 31/12/2020, sem considerar o valor que não possui a posse. No campo de ‘discriminação’ o senhor poderá incluir a informação de que possui 50% de posse do imóvel. 2) Pergunta: Vendi um imóvel residencial e não recolhi o imposto devido no prazo de seis meses. Já tentei emitir boleto mas ele sempre vem sem o código de barras para fazer o pagamento. Como posso regularizar essa situação? (Helio Godoy de Avellar) Resposta: Após o prazo original de vencimento, os DARFs não são emitidos com código de barras pela Receita Federal. Assim, você poderá realizar o pagamento do DARF sem código de barras diretamente no banco ou via Internet Banking. No site do banco ou no aplicativo do celular, por favor procure a seguinte opção: Pagamentos > Tributos > DARF > (digitar os dados do DARF). Note que este passo a passo pode variar de acordo com a o site ou aplicativo de cada instituição financeira. 3) Pergunta: Comprei um imóvel em 2009 e declarei no imposto de renda 2010 por valor menor. Tenho comprovante de que o valor da compra foi 100% maior. Posso atualizar esse valor na declaração de 2021? (Joaquim Rodrigues Pereira) Resposta: Os imóveis devem ser declarados pelo custo de aquisição e esses valores somente podem ser alterados em casos de benfeitorias, construção ou reformas, desde que devidamente comprovadas com notas fiscais e recibos. Para regularização do valor deste imóvel, o senhor deverá retificar as declarações dos últimos 5 anos, prazo máximo permitido para apresentar declarações retificadoras, e nelas informar o custo correto de aquisição.
Setores de tecnologia e saúde se destacam no ranking. O Banco Nacional de Empregos (BNE) mapeou as 10 ocupações que têm os melhores salários neste começo de 2021. Entre os cargos estão diretor de TI, diretor hospitalar, diretor administrativo financeiro e diretor jurídico. Veja 30 funções com salários que mais subiram e mais caíram entre 2020 e 2021 Pandemia aprofunda diferenças no mercado de trabalho As ocupações listadas seguem a tendência do mercado de trabalho, analisa o CEO do BNE, Marcelo de Abreu. "A pandemia estimulou maiores contratações na área da saúde, e a transformação digital gerou mais contratações e valorização das vagas no setor de tecnologia", explica. As profissões que mais se destacaram são em cargos estratégicos, principalmente chefias. "As empresas investiram em contratar lideranças especializadas que ajudassem na retomada das atividades e fossem peças importantes para a transformação digital", comenta Abreu. Confira as 10 ocupações e as médias salariais: Diretor Administrativo Financeiro: R$ 21.984,00 Diretor Executivo: R$ 20.251,61 Diretor de TI: R$ 20.103,24 Diretor Financeiro: R$ 19.839,56 Diretor Comercial: R$ 17.954,88 Diretor Jurídico: R$ 17.745,84 Diretor de Comércio Eletrônico: R$ 17.158,97 Gerente de Engenharia: R$ 15.924,56 Diretor hospitalar: R$ 15. 566,96 Plantonista médico: R$ 14.390,94 Dicas para conquistar a vaga O candidato interessado em obter vagas deve se atentar às tendências do setor e buscar qualificação para preencher essas posições. "É importante que os candidatos prestem atenção nos setores que mais estão contratando e se aperfeiçoem em cursos para abrir um leque de possibilidades", indica Marcelo. Uso de palavras-chave é essencial para o currículo ser lido; entenda Currículo para primeiro emprego: veja dicas, como montar e baixe modelos Veja 5 motivos que podem levar o recrutador a ignorar seu currículo Posso colocar no currículo empregos sem registro em carteira? Veja dicas Como justificar o tempo sem trabalhar no currículo e na entrevista Já o currículo deve ter informações atualizadas, objetividade e atenção aos erros. "É muito comum encontrar currículos desatualizados e com erros de ortografia. Os documentos devem ter informações objetivas e precisas, visto que os recrutadores não gastam muito tempo lendo currículos", finaliza Abreu.

Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco Divulgação Foram divulgadas as vagas de emprego disponíveis nesta quinta-feira (04) em Petrolina e Salgueiro, no Sertão de Pernambuco. As oportunidades são disponibilizadas pela Agência do Trabalho de Pernambuco e atualizadas no G1 Petrolina. Os interessados nas oportunidades podem entrar em contato com a Seteq através da internet. O atendimento na Agência do Trabalho ocorre apenas com agendamento prévio, feito tanto pelo site da secretaria, quanto pelo Portal Cidadão. Petrolina Contato: (87) 3866 - 6540 Vagas disponíveis Salgueiro Contato: (87) 3871-8467 Vagas disponíveis Vídeos: mais assistidos do Sertão de PE

Através da Agência do Trabalho, há oportunidades para quem quer trabalhar como carpinteiro, encanador, auxiliar de cozinha, recepcionista, servente de obras, entre outros cargos. Confira vagas de emprego disponíveis nesta quinta-feira Profissionais que estão em busca de uma oportunidade de emprego têm 232 vagas disponíveis através da Agência do Trabalho, da Secretaria do Trabalho, Emprego e Qualificação (Seteq). Os postos de trabalho estão distribuídos entre 15 municípios do estado nesta quinta-feira (4) (veja vídeo acima). Entre as oportunidades, existem vagas para quem quer trabalhar como auxiliar de limpeza, garçom, chef de cozinha, motorista, eletricista, entre outras ocupações (confira lista completa mais abaixo). Do total, 22 vagas são temporárias Agência Brasil Há vagas no Recife (43), Arcoverde (4), Belo Jardim (8), Bezerros (2), Cabo de Santo Agostinho (6), Caruaru (53), Garanhuns (8), Igarassu (16), Ipojuca (9), Palmares (2), Petrolina (15), Salgueiro (10), Santa Cruz do Capibaribe (9), Serra Talhada (7) e Vitória de Santo Antão (40). Os interessados devem procurar uma das Agências do Trabalho do estado. O atendimento ocorre preferencialmente com agendamento, feito pelo site da secretaria ou pelo Portal Cidadão. Vagas de emprego Vagas para pessoas com deficiência Vagas temporárias VÍDEOS: Mais assistidos de Pernambuco nos últimos 7 dias

De acordo com a Vagas.com, o volume de vagas ofertadas saltou de 594 posições em 2019 para 2.428 no ano passado. 'Sua chance:' Os acertos e ajustes após um ano de Home Office As ofertas de emprego em modelo home office cresceram 309% no ano passado. É o que revela levantamento realizado pela Vagas.com, empresa de soluções tecnológicas de recrutamento e seleção. Veja dicas para se sair bem nas seleções para vagas em home office Como ser promovido no home office? Veja como evitar a dor nas costas trabalhando em home office De acordo com a companhia, o volume de vagas ofertadas saltou de 594 posições em 2019 para 2.428 no ano passado. Veja abaixo a criação de vagas em home office trimestre a trimestre: Criação de vagas em home office em 2019 e 2020, segundo a Vagas.com Economia G1 De acordo com Rafael Urbano, especialista em Inteligência de Negócios da Vagas.com, os setores que mais contribuíram para esse aumento de posições em regime de trabalho flexível foram: Tecnologia (41%) Finanças (11%) Consultoria e Gestão Empresarial (10%) Seguros (8%) Telecom (7%) Educação (4%) Outros (19%) Entre as áreas mais buscadas pelas empresas para atuação remota aparecem: Tecnologia (38%) Vendas (10%) Recursos Humanos (4%) Marketing (4%) Administrativo (3%) Financeiro (2%) Telemarketing (2%) Atendimento (2%) Consultor (2%) Direito (1%) Contabilidade (1%) Inteligência de Mercado (1%) Outros (20%) "Notamos um maior interesse por parte dos nossos clientes na oferta de vagas em modelo home office a partir do segundo trimestre, justamente no período em que a pandemia registrou forte expansão de casos registrados no Brasil, forçando as empresas a se readequarem para que não perdessem a produtividade", explica Urbano. 369 oportunidades abertas Na plataforma de empregos Vagas.com.br há, neste momento, 369 vagas para atuar em modelo home office, trabalho remoto ou teletrabalho. As remunerações e benefícios variam em cada oferta. Para ter mais informações sobre as oportunidades oferecidas pelas empresas, é recomendado pesquisar as vagas pelas palavras-chave home office, trabalho remoto ou teletrabalho.

Ferramenta está disponível nos aplicativos para Windows e Mac, mas ainda não funciona pelo navegador web. Aplicativo do WhatsApp para Windows e Mac agora faz ligações. Divulgação/WhatsApp O WhatsApp liberou nesta quinta-feira (4) chamadas de voz e vídeo pelo computador, por meio dos aplicativos para Windows e Mac. A ferramenta, no entanto, não funciona no WhatsApp Web, que é aberto pelo navegador do computador. É preciso baixar o aplicativo para o computador. WhatsApp vai limitar recursos para quem não aceitar nova política de privacidade Além disso, só é possível fazer ligações individuais – o recurso de chamadas em grupo de até 8 pessoas ainda não está liberado. A janela das chamadas de vídeo funciona nos modos paisagem e retrato, pode ser redimensionada, e está configurada para ficar sempre em primeiro plano em relação às outras janelas. A liberação das chamadas no computador será feita de forma gradual, então é possível que a opção não apareça imediatamente para todas as pessoas. O WhatsApp, porém, está liberando a atualização no mundo todo. Como fazer ligações pelo WhatsApp? Baixe o aplicativo do WhatsApp para Windows ou Mac; Faça o login com o seu WhatsApp. No Android, toque no ícone de três pontinhos localizado na parte de cia da tela e aperte em "WhatsApp Web". No iPhone, clique no ícone da engrenagem (Ajustes) que fica na parte de baixo e toque em "WhatsApp Web/Computador". Em seguida escaneie o QR Code; Abra uma conversa e ao lado da foto e do nome do seu contato, clique no ícone de ligação por voz ou vídeo. Saiba mais: Como fazer ligações em vídeo para várias pessoas ao mesmo tempo Entenda a nova política de privacidade do WhatsApp Seis perguntas sobre a nova política de privacidade do WhatsApp Veja dicas para se manter seguro na internet:

Coronavírus em descontrole por todo o país deve minar qualquer expectativa de reação no início de 2021 e fazer crise econômica se arrastar, segundo levantamento realizado pela FGV. O Brasil já conseguiu recuperar boa parte da perda do Produto Interno Bruto (PIB) desde o início da recessão provocada pela pandemia de coronavírus, mas o agravamento da crise sanitária no país não deve permitir uma melhora no ritmo da retomada. No fim de 2020, o Brasil já tinha recomposto 89,1% da perda do PIB em relação segundo trimestre, quando a economia despencou 9,7% e marcou o pior momento da crise atual, de acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas (Ibre/FGV). Em todo o ano passado, o PIB do Brasil recuou 4,1%, a maior queda desde o início da série histórica atual do IBGE, iniciada em 1996. Segundo o Comitê de Datação de Ciclos Econômicos (Codace), também da FGV, a economia brasileira está em recessão desde o primeiro trimestre do ano passado. PIB ano a ano Anderson Cattai/G1 A recuperação do PIB observada ao longo de 2020 - nos últimos três meses do ano, o crescimento chegou a 3,2% na margem - não deve acelerar nos próximos trimestres, porque a piora dos números da pandemia tem potencial para prejudicar o desempenho da atividade econômica neste início de 2021 e fazer com que a crise atual leve mais tempo para ser superada. Diante do aumento de casos e mortes provocados pela doença, governadores e prefeitos voltaram a adotar medidas restritivas e proibiram o funcionamento de atividades consideradas não essenciais com o objetivo de controlar o avanço da doença e evitar um colapso ainda maior do sistema de saúde. PIB cai 4,1% em 2020 e Brasil tem pior resultado desde 1996 "A gente chega a 2021 com uma situação que mistura essa nova onda forte (da pandemia) ganhando de goleada da campanha da vacinação", afirma o superintendente de Estatísticas Públicas do Ibre/FGV, Aloisio Campelo Jr. "Esse cenário provoca uma desaceleração, seja por um problema da demanda, das pessoas ficarem com medo de sair, consumir, seja por um problema de oferta, de os governos estarem adotando algumas medidas para restringir a circulação", afirma. De fato, a expectativa, segundo o levantamento da FGV, é que a recomposição do PIB encerre o segundo trimestre de 2021 em 90%, evidenciando essa lentidão esperada para a economia brasileira. Efeito Auxílio Emergencial A injeção de recursos na atividade econômica via Auxílio Emergencial ajuda a explicar essa recuperação rápida no início da crise, mesmo com uma perspectiva pouco favorável mais adiante. O auxílio despejou R$ 300 bilhões na atividade do país e chegou a 68 milhões de famílias. Neste ano, o governo deve promover uma rodada mais enxuta do programa. O plano seria pagar quatro parcelas de 250 reais para cerca de metade dos beneficiários. VÍDEO: Especialistas afirmam ser viável retomar o auxílio emergencial "O efeito maior (para a economia) foi do Auxílio Emergencial. Ele veio numa magnitude, sobretudo quando eram parcelas de R$ 600, houve até um aumento da massa salarial disponível", afirma Aloisio Segundo um levantamento realizado pela consultoria Tendências, a massa de renda no Brasil cresceu 4,6% no ano passado, para R$ 4,331 trilhões, em relação a 2019. Sem o benefício, o país teria colhido uma queda de 1,2% na renda. Neste ano, a consultoria estima que a nova versão do auxílio deve injetar R$ 40 bilhões na economia, mas, mesmo com esse estímulo, a massa de renda deve recuar 3,7% na comparação com 2020, para R$ 4,17 trilhões. Dez recessões em 40 anos Das dez recessões já contabilizadas pelo Codace nos últimos 40 anos, as mais longas duraram 11 trimestres e ocorreram em dois momentos: entre o terceiro trimestre de 1989 e o primeiro trimestre de 1992; e do segundo trimestre de 2014 ao quarto trimestre de 2016. “As recessões mais longas têm a ver com algum problema estrutural da economia, como uma hiperinflação, uma crise cambial ou um problema fiscal”, afirma Aloisio. “A economia demora mais para se recuperar.” Tamanho das recessões Economia G1 Já as recessões mais curtas foram observadas em três momentos: do segundo trimestre de ao terceiro trimestre de 1995; do primeiro trimestre de 2003 ao segundo trimestre de 2003; e do quarto trimestre de 2008 ao primeiro trimestre de 2009. Initial plugin text

Conheça descrições dos termos mais comuns usados na declaração do IR; prazo de declaração vai até 30 de abril. Selo IR 2021 glossário Arte G1 O prazo para entrega da declaração do Imposto de Renda 2021, ano-base 2020, vai até o dia 30 de abril. Confira no glossário do G1 as descrições dos termos mais comuns usados na Declaração do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF). SAIBA TUDO SOBRE O IMPOSTO DE RENDA 2021 Abono pecuniário: É a opção que o trabalhador tem de converter, em pagamento, dez dias do seu período de férias. Acréscimo patrimonial: É o aumento de riqueza justificado pela renda de determinado indivíduo ou contribuinte. Alienação: É a transferência de um bem ou direito para o nome de uma outra pessoa. Alienação de bens e direitos: É caracterizada como compra e venda, permuta, desapropriação, doação em pagamento, doação, promessa de compra e venda, cessão de direitos ou promessa de cessão de direitos e contratos afins. Alienação de moeda estrangeira: São operações de alienação feitas em moeda de outro país. Os ganhos em reais obtidos na alienação estão sujeitos à tributação definitiva com alíquota de 15%, quando o total das alienações forem superiores a US$ 5 mil. Alimentandos: São filhos de pais divorciados, separados judicialmente ou por escritura pública, que recebem pensão alimentícia. Alíquota: Em direito tributário, alíquota é o percentual ou valor fixo que será aplicado sobre a base de cálculo para apurar o valor de um tributo. Ano-calendário: É o ano anterior ao ano vigente. Se estamos em 2021, o ano-calendário será o de 2020. Aplicação financeira: É o valor depositado em uma instituição financeira com a finalidade de obter rendimento. Atividade rural: Agricultura, pecuária, extração e exploração vegetal e animal, atividades zootécnicas, pesca ou produtos utilizando matéria-prima da área explorada como produção de queijo. Base de cálculo: No direito tributário, base de cálculo é a grandeza econômica sobre a qual se aplica a alíquota para calcular a quantia de imposto a pagar. Bens e Direitos: Imóvel, carro, moto, direito autoral de música ou patente de inovação tecnológica, por exemplo. Bens imóveis: Casa, terreno, sala, galpão, loja, apartamento, prédio, por exemplo, em zona urbana ou rural. Bens móveis: Que podem ser transportados, como carro, moto, avião, barco, obra de arte e joias. Carnê-Leão: É o imposto mensal obrigatório para a pessoa física que reside no país e recebe rendimentos de outra pessoa física ou do exterior, quando não tributados na fonte no Brasil. Os perfis mais comuns que se enquadram no Carnê-Leão são, por exemplo, profissionais liberais, autônomos, locadores e pensionistas. CNPJ: O Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) é um número único que identifica uma pessoa jurídica junto à Receita Federal. Comprovante de rendimento: É o documento com o qual uma pessoa comprova que possui rendimentos. Contribuição patronal: É o pagamento efetuado pelo empregador para a Previdência Social, incidente sobre o valor da remuneração do empregado. Contribuinte: É o sujeito passivo de uma obrigação tributária. Em termos comuns, é aquele que deve, por previsão legal, pagar tributos ao Fisco. Contribuinte incapaz: São as pessoas que não podem praticar pessoalmente os atos ou negócios jurídicos. Neste caso, a declaração fica a cargo do tutor ou responsável pela guarda judicial do incapaz. Contribuinte menor emancipado: É aquele contribuinte que, mesmo sem ter atingido os dezoito anos de idade, tem direitos e deveres de um cidadão maior de idade. Crédito tributário: No direito tributário, é o vínculo jurídico que obriga o contribuinte ou responsável (sujeito passivo) ao Estado (sujeito ativo) ao pagamento do tributo ou da penalidade pecuniária. Darf: Documento de Arrecadação de Receitas Federais é o documento utilizado pelas pessoas físicas e jurídicas para pagamentos de impostos, contribuições e taxas para a Receita Federal. Day Trade: Operação em que uma ação é comprada e vendida no mesmo dia. Declaração de Ajuste Anual do IRPF: É o nome completo da declaração do Imposto de Renda. Trata-se do documento que a pessoa física entrega à Receita Federal do Brasil. Declaração usando os descontos legais: É o tipo de declaração do IRPF que permite abater determinadas despesas do Imposto de Renda. É ideal para quem tem deduções que superam 20% dos rendimentos anuais. Declaração conjunta: É a declaração apresentada em nome de um dos cônjuges, abrangendo todos os rendimentos do casal. Pelas regras da Receita, essa declaração é válida para as pessoas oficialmente casadas, que estão em uma união estável por, no mínimo, cinco anos, ou que possuem um filho em comum, mesmo que não sejam oficialmente casados. Declaração de bens e direitos: É a parte da declaração de ajuste anual, onde são relacionados detalhadamente os bens imóveis, móveis e direitos que faziam parte do patrimônio em 31 de dezembro do ano-calendário. Declaração retificadora: A declaração retificadora é o instrumento que a pessoa física envia a Receita Federal do Brasil para substituir a declaração de ajuste anual entregue com incorreções. Declaração com o desconto simplificado: É a declaração que implica a substituição das deduções previstas na legislação tributária pelo desconto de 20% do valor dos rendimentos tributáveis na declaração. Dedução: Ação de deduzir; subtrair; diminuir; abater. No caso do IR, pode-se deduzir despesas que diminuem a base de cálculo do imposto devido. Dedução de incentivo: É o desconto efetuado do imposto devido, limitado a 6%, referente ao Estatuto da Criança e do Adolescente, incentivo à cultura, à atividade Audiovisual e ao desporto. E mais 2%, sendo 1% ao Programa Nacional de Apoio à Atenção da Saúde da Pessoa com Deficiência (Pronas/PCD) e 1% ao Programa Nacional de Apoio à Atenção Oncológica (Pronon). Dedutibilidade: A ação de poder deduzir a despesa que reduz a base de cálculo do Imposto de Renda. Dependente: Pessoa que não dispõe de recursos para promover a sua subsistência e que vive às custas de outra. Na declaração do IR é informada como dependente de quem a mantenha. Dívidas e ônus reais: Dívida ou empréstimo que o contribuinte tem no país ou no exterior, contraídos de pessoa física ou jurídica. Doação: É o contrato, gratuito e formal, em que uma pessoa, por sua própria vontade, transfere bens ou vantagens do seu nome para outra pessoa. Emolumento: Emolumento é o rendimento de um cargo, além do ordenado fixo. Espólio: Bens que alguém deixou ao morrer. É o total dos bens e direitos que pertencia ao falecido. Evolução patrimonial: São todas as alterações sofridas pelo patrimônio na sua composição qualitativa e/ou quantitativa. Exigibilidade suspensa: Disputa na Justiça em que o pagamento de IR é feito por depósito judicial. FGTS: É o fundo criado em 1967 pelo governo federal para proteger o trabalhador demitido sem justa causa, mediante a abertura de uma conta vinculada ao contrato de trabalho. Fonte pagadora: Fonte pagadora é a pessoa física ou jurídica que efetuou o pagamento de rendimentos ao contribuinte. Ganho de capital: É a diferença positiva entre o valor da venda de um bem ou direito e o valor pelo qual ele foi adquirido. Honorário: É a remuneração de quem exerce uma profissão liberal: advogado, médico etc. Imposto a pagar: É a diferença positiva entre o imposto apurado e o imposto pago Imposto a restituir: É a diferença negativa entre o imposto apurado e o imposto pago Imposto complementar: É o recolhimento de Imposto de Renda facultativo que o contribuinte pode antecipar até o mês de dezembro do ano-calendário, quando tenha recebidos rendimentos de mais de uma fonte pagadora. Imposto devido: É o valor do imposto apurado antes da compensação do imposto retido na fonte e pago pelo carnê-leão. Imposto de renda retido na fonte: É o imposto que é descontado dos rendimentos do contribuinte pela fonte pagadora. INSS: É uma autarquia do governo federal que recebe as contribuições para a manutenção do regime geral da Previdência Social, sendo responsável pelo pagamento da aposentadoria, pensão por morte, auxílio-doença etc. Inventariante: É a pessoa que administra os bens de um falecido enquanto a partilha dos bens não é julgada. Isenção de Imposto de Renda: É a dispensa do pagamento do imposto em casos que são garantidos por lei. Isento do Imposto de Renda: É aquele desobrigado, dispensado ou eximido do pagamento do imposto. Legatário: É a pessoa beneficiada pelo testamento de um falecido. Limite de dedução: É o teto aquele fixado por lei para limitar as deduções que reduzem a base de cálculo do imposto. Livro caixa: É o livro no qual o contribuinte pode deduzir da receita decorrente do exercício da atividade as despesas permitidas, ou seja, as despesas necessárias para exercer a atividade Natureza da ocupação: É a espécie de atividade que determinado indivíduo exerce: serviço ou trabalho, seja manual ou intelectual. Numerário: Moeda, dinheiro efetivo. A quantia ou soma em dinheiro que uma pessoa tem no caixa. Ocupação principal: É a atividade principal exercida por determinado indivíduo, seja trabalho manual ou intelectual. Ônus real: É uma obrigação que limita a fruição e a disposição da propriedade e que recai sobre coisas móveis ou imóveis, por força de direitos reais sobre coisas alheias. Participação societária: Posse de cotas ou ações de uma empresa. Pensão alimentícia: É a quantia fixada pelo juiz ou escritura pública que deve ser atendida pelo responsável, para manutenção dos filhos e ou do outro cônjuge. Permuta: É o ato no qual os contratantes trocam ou cambiam entre si coisas de sua propriedade. Pessoa física: Homem ou mulher ao qual se atribuem direitos e obrigações. Pessoa jurídica: Conjunto de normas de proteção e defesa do trabalhador ou do funcionário, mediante aposentadoria, amparo nas doenças, montepios, etc. Previdência privada: Previdência privada, também chamada de previdência complementar, é uma forma de seguro contratado para garantir uma renda futura ao comprador ou seu beneficiário. Pró-labore: Expressão latina que significa pelo trabalho; remuneração do trabalho realizado por sócio, gerente ou administradores de uma empresa. Recibo da declaração: É o documento que comprova a efetiva entrega da declaração do Imposto de Renda Pessoa Física. Rendimento: É o total recebido, durante certo período, como remuneração de trabalho ou de prestação de serviços, ou como lucro de transações comerciais ou financeiras de investimentos de capital etc. Rendimento bruto: Todo o produto do capital do trabalho, alimentos e pensões percebidos em dinheiro; proventos de qualquer natureza. Rendimento próprio: É a remuneração recebida no próprio nome de determinado indivíduo/contribuinte. Rendimento isento: É aquele que não sofrem a cobrança do imposto de renda, pois têm isenção garantida por lei. Rendimento não-tributável: É o mesmo que rendimento isento. Rendimentos recebidos acumuladamente: Rendimentos que o contribuinte ganhou de uma só vez, após esperar por longo tempo. Exemplos: aposentadoria, pensão, precatórios e transferência para a reserva remunerada. Rendimento tributável: É o proveniente do trabalho assalariado; remunerações por trabalho prestado no exercício de emprego, cargos e funções, e quaisquer proventos ou vantagens percebidos, aluguéis, juros etc. Rendimento tributável exclusivamente na fonte: Rendas que têm tributação de IR no momento do recebimento. Tributação exclusiva/definitiva: É quando o imposto sobre a renda retido na fonte não pode ser compensado na declaração anual. União estável: É aquela entre um homem e uma mulher desimpedidos dos laços do casamento ou separadas de fato. Assista a mais notícias sobre o IR 2021:
Texto prevê mecanismos em caso de descumprimento do teto de gastos. Para concluir votação, senadores precisam aprovar a PEC em segundo turno, marcado para esta quinta (4). Senado aprova PEC Emergencial em 1º turno; proposta viabiliza auxílio emergencial O Senado aprovou nesta quarta-feira (3) em 1º turno a proposta de emenda à Constituição conhecida como PEC Emergencial. A proposta prevê uma série de medidas que podem ser adotadas em caso de descumprimento do teto de gastos, regra que limita o aumento dos gastos da União à inflação do ano anterior. O texto também viabiliza a retomada do auxílio emergencial. Em um primeiro momento da sessão, os senadores aprovaram o texto-base por 62 votos a 16. Depois, passaram à análise dos destaques, que visavam modificar o conteúdo. Todos foram rejeitados, incluindo um do PT, que definia em R$ 600 o valor do auxílio. Saiba como votou cada senador sobre o texto-base Para concluir a votação, os senadores ainda precisam aprovar a PEC em segundo turno, marcado para esta quinta (4). Se aprovado em dois turnos, o texto seguirá para a Câmara dos Deputados, onde, de acordo com o presidente da Casa, Arthur Lira (PP-AL), a maioria dos líderes apoia a análise com rapidez. O vídeo abaixo explica a proposta e a votação no Senado. PEC Emergencial: Senado vota proposta que abre caminho para novo auxílio emergencial Auxílio emergencial A proposta aprovada não detalha valores, duração ou condições para o novo auxílio emergencial. O texto flexibiliza regras fiscais para abrir espaço para a retomada do programa. Isso porque, pela PEC, a eventual retomada do auxílio não precisará ser submetida a limitações previstas no teto de gastos. A proposta concede autorização para descumprimento das limitações somente para a União, tentando evitar maior deterioração das contas de estados e municípios. O texto determina ainda que as despesas com o novo programa serão previstas por meio de abertura de crédito extraordinário, a ser encaminhado pelo governo para análise do Congresso. Nesta quarta-feira, em uma complementação do relatório, o senador Márcio Bittar (MDB-AC), relator da PEC, estipulou um limite para gastos fora do teto, no valor de R$ 44 bilhões, para custeio do novo auxílio. Essa trava não é uma estimativa de quanto custará o programa, mas um teto de recursos para bancá-lo. O limite foi definido após parlamentares tentarem estender ao Bolsa Família a possibilidade de extrapolar o teto, proposta que, segundo Arthur Lira, não será aprovada pelo Congresso. VÍDEO: Bolsonaro prevê novo auxílio-emergencial 'a partir de março, por quatro meses' R$ 250 por 4 meses Em uma transmissão na semana passada, o presidente Jair Bolsonaro disse que o auxílio emergencial deverá ser retomado ainda no mês de março, com duração de quatro meses. Inicialmente, a equipe econômica do governo defendia o valor de R$ 200, enquanto congressistas propõem pelo menos R$ 300, ou seja, metade do valor pago no início do programa em 2020. O governo também quer reduzir a quantidade de beneficiários à metade, portanto, conceder o auxílio a cerca de 32 milhões de brasileiros. Senado promete votação rápida da PEC emergencial; Camarotti comenta Gatilhos O objetivo central da PEC é criar mecanismos que estabilizem as contas públicas. Atualmente, esse trabalho é feito por dois dispositivos já em vigor: a regra de ouro, que proíbe o governo de fazer dívidas para pagar despesas correntes, como salários, benefícios de aposentadoria, contas de luz e outros custeios da máquina pública; o teto de gastos, que limita os gastos da União à inflação do ano anterior. Segundo a PEC Emergencial, quando a União estiver prestes a descumprir a regra de ouro ou a romper o teto, medidas de contenção de gastos serão adotas automaticamente. Esses "gatilhos" serão acionados no momento em que as despesas atingirem um certo nível de descontrole. Se atingido com despesas obrigatórias o índice de 95% das despesas totais, o governo federal estará proibido de: conceder aumento de salário a servidores; contratar novos funcionários; criar bônus. A PEC também prevê exceções. O reajuste das remunerações poderá acontecer se determinado por decisão judicial definitiva (transitada em julgado) ou se estiver previsto antes de a PEC começar a valer, por exemplo. Pelo texto, as novas contratações só se darão para repor vagas e cargos de chefia, por exemplo, desde que não signifiquem aumento de despesa. A União será obrigada a tomar tais medidas. Levantamento da Instituição Fiscal Independente (IFI) do Senado diz que, com esses critérios, os gatilhos só seriam acionados em 2025, no caso da União. Para estados, Distrito Federal e municípios, a adoção das medidas é opcional. Outros pontos A PEC também prevê que: Caso as despesas representem 95% das receitas, governos estaduais e municipais poderão optar pelas medidas, mas os gatilhos serão adotados de forma separada pelos poderes Executivo, Judiciário e Legislativo. Se os entes não implementarem o pacote de restrições para conter gastos, sofrerão sanções; A União não poderá servir como fiadora de empréstimo para um estado que se recusar a disparar os gatilhos de austeridade; Para a União, os gatilhos também serão acionados em caso de decreto de calamidade pública; No caso de calamidade, os estados e municípios poderão acionar os gatilhos. Caso não adotem as medidas, sofrerão sanções, como a proibição de contratação de empréstimos tendo a União como fiadora. Incentivos fiscais O texto diz que, em até seis meses após a entrada da PEC em vigor, o Executivo encaminhará ao Congresso plano de redução gradual de incentivos e benefícios federais de natureza tributária. Não entrarão nesse plano, segundo a proposta, incentivos a zonas francas, instituições de filantropia, fundos constitucionais, cestas básicas e bolsas de estudos para estudantes de cursos superiores. A proposta também dá mais cinco anos para estados e municípios pagarem os chamados precatórios. Precatórios são títulos de dívidas do poder público reconhecidas pela Justiça. Quando alguém ganha um processo na Justiça contra um ente público em razão de dívida, recebe um precatório e entra na fila do pagamento. Relator da PEC emergencial retira fim dos pisos constitucionais de Saúde e Educação Pontos retirados Inicialmente, o relator propôs o fim dos pisos constitucionais para gastos em saúde e educação. Diante da repercussão negativa e, ao perceber que o texto não passaria no Senado, Márcio Bittar acabou retirando o trecho da proposta. Além da retirada do trecho, Bittar promoveu outras mudanças no relatório. Atualmente, a Constituição prevê que, dos recursos arrecadados por meio das contribuições do PIS/Pasep, 28% deverão ser destinados a iniciativas que recebam incentivo do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O PIS e o Pasep são programas que tem por objetivo financiar o seguro-desemprego e o abono. São alimentados pelas contribuições das empresas privadas e dos órgãos públicos. Inicialmente, Bittar propôs a exclusão desse ponto da Constituição. Nesse caso, o BNDES deixaria de receber o percentual. Na versão final do parecer, o relator voltou atrás e manteve o repasse ao banco. De acordo com o parlamentar, o tema poderia "criar um óbice" e prejudicar o andamento da votação.

Principal empresa de entretenimento do mundo explicou em comunicado que pretende "reduzir significativamente sua presença física". Parque Magic Kingdom, da Disney, vazio durante a pandemia de Covid-19 Gregg Newton/Reuters A Disney anunciou nesta quarta-feira (3) que fechará "pelo menos 60" de suas lojas físicas na América do Norte neste ano para se concentrar em seus negócios online. Esses fechamentos serão apenas um primeiro passo, já que a principal empresa de entretenimento do mundo explicou em comunicado que pretende "reduzir significativamente sua presença física" comercial para desenvolver sua estratégia eletrônica. Disney eleva número de demissões para 32 mil com impacto de coronavírus em parques temáticos "O comportamento do consumidor mudou para as compras online, a pandemia global mudou o que os consumidores esperam de um varejista", disse Stephanie Young, presidente de produtos de consumo, jogos e publicação, citada no comunicado. No próximo ano, a Disney pretende desenvolver sua plataforma de vendas "shopDisney" e expandir sua integração com aplicativos móveis dedicados a seus parques temáticos e com as redes sociais. A empresa não especificou a localização das lojas que fechará ou o número de empregos que serão perdidos com a decisão. Existem aproximadamente 300 lojas Disney no mundo.
Especialista Antonio Gil, da EY, respondeu as perguntas dos contribuintes. Imposto de Renda 2021: programa tira dúvidas sobre a declaração Especialista Antonio Gil, da EY, respondeu as perguntas dos contribuintes. Prazo para envio da declaração começou na segunda-feira (1º)

Especialista Antonio Gil, da EY, responde as perguntas dos contribuintes. Especialista Antonio Gil, da EY, responde as perguntas dos contribuintes.

Ano passado, 105 mil produtores foram atendidos pelo programa. Em 2019, o total foi de apenas 42 mil. Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural recebeu R$ 881 milhões de orçamento. Número de produtores que foram beneficiados seguro rural cresceu 84% em 2020, comparado ao ano anterior. Rafael Zambe/TV Gazeta O número de produtores que foram beneficiados pelo Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) cresceu 84% em 2020, comparado ao ano anterior, segundo relatório publicado nesta quarta-feira (3) pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). Em 2019, 42 mil produtores receberam o seguro, enquanto no ano passado este número saltou para 105 mil. Com esta demanda, as seguradoras pagaram R$ 2,5 bilhões em indenizações aos produtores em 2020, de acordo com o Ministério. Para o diretor do Departamento de Gestão de Riscos do Mapa, Pedro Loyola, estes dados apresentam uma "efetividade do seguro”. “Considerando os sucessivos problemas climáticos observados nos últimos anos, cada vez mais severos, o produtor rural não deveria plantar sem a proteção do seguro", declarou Loyola. De acordo com o relatório, em 2020 foram destinados R$ 881 milhões de orçamento para o programa. Para 2021, a expectativa é de que o valor seja de R$ 1 bilhão, caso o recurso seja aprovado no Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2020, que está em tramitação no Congresso Nacional. As regiões Norte e Nordeste se destacaram no relatório por ter tido um aumento no valor das apólices contratadas: R$ 50 milhões ante R$ 20 milhões em 2019. A área segurada foi a maior do programa, sendo 38% a mais do que 2014, que era o recorde até então. Ao todo, foram atendidos 13,67 milhões de hectares, com 193 mil apólices. Seguro Rural O PSR concede, desde 2005, o prêmio do seguro rural nas modalidades agrícola, pecuária, florestal e aquícola. O programa tem o objetivo de gerar uma estabilização da renda dos produtores ao longo dos anos, para estimular a produção agropecuária no país. Para contratar o seguro, o produtor deve procurar um corretor ou uma instituição financeira que comercialize este tipo de apólice. Segundo o site do Mapa, atualmente, existem 14 seguradoras habilitadas para isso. O seguro rural é destinado tanto para pessoa física ou jurídica, independente de acesso ao crédito rural, contanto que produza espécies contempladas pelo programa. Em 2020, 62 culturas foram atendidas, de acordo com o relatório. Para os grãos em geral, o percentual do auxílio pode variar entre 20% e 40%, dependendo da espécie plantada e do tipo de cobertura contratada. Já no caso das frutas, olerícolas, cana-de-açúcar e demais modalidades o percentual de subvenção ao prêmio é fixo em 40%. VÍDEOS: tudo sobre agronegócios

Petroleira encolheu mais de R$ 108 bilhões desde 18 de fevereiro, quando Bolsonaro se queixou dos preços dos combustíveis e afirmou que desejava realizar mudanças na estatal. Quatro integrantes do conselho de administração da Petrobras pedem para deixar cargos Com a queda de 4% das ações da Petrobras na Bovespa nesta quarta-feira (3), a Petrobras perdeu R$ 108 bilhões em valor de mercado desde 18 de fevereiro, quando Jair Bolsonaro se queixou dos preços dos preços dos combustíveis e afirmou que queria realizar mudanças na estatal. O montante é equivalente ao valor financeiro do Banco BTG (R$ 100,7 bilhões) . Troca na Petrobras teve efeito econômico 'ruim', diz ministro Paulo Guedes Após trocar presidente, Bolsonaro diz que não 'briga' com Petrobras, mas quer 'previsibilidade' Segundo levantamento da provedora de informações financeiras Economatica, a estatal encolheu R$ 11,4 bilhões apenas no pregão desta quarta-feira (3). Com a queda das ações da Petrobras nesta quarta-feira, a perda de valor de mercado em duas sessões superou os R$ 102,4 bilhões. As estatais perderam R$ 121 bilhões desde 18 de fevereiro até o pregão desta quarta, e R$ 12 bilhões no dia. Maiores tombos diários da Petrobras G1 Conselheiros deixam Petrobras Na noite de terça-feira (2), quatro conselheiros da Petrobras pediram para deixar o cargo. A decisão ocorreu após o presidente Jair Bolsonaro indicar o general Joaquim Silva e Luna no comando da petroleira para o lugar de Roberto Castello Branco por críticas à política de preços da companhia. O mandato de Castello Branco acaba em 20 de março. Segundo a Economatica, a maior queda diária já registrada no valor de mercado da Petrobras foi registrada no dia 9 de março do ano passado, na esteira de um tombo nos preços internacionais do petróleo, quando a estatal perdeu R$ 91,1 bilhões. O levantamento da Economatica desta quarta-feira considera o valor de fechamento dos papéis. As ações ordinárias (PETR3) recuaram 4,29% (R$ 20,97), e as preferenciais (PETR4) registraram queda de 3,64% (R$ 21,19). VÍDEOS: mudança na presidência da Petrobras Initial plugin text
Malonize Seguros
Estrada de Itaquera Guaianases 55 - São Paulo / SP
Fone: (11) 2944-0410
Celular: (11) 98514-3030